Escritor jordaniano é assassinado enquanto aguardava julgamento por caricatura

Por Suleiman Al-Khalidi

AMÃ (Reuters) - Um homem armado matou a tiros neste domingo o escritor jordaniano Nahed Hattar do lado de fora do tribunal onde aguardava julgamento sob acusação de desprezo à religião, depois de compartilhar nas redes sociais uma caricatura considerada como um insulto ao Islã, segundo testemunhas e a mídia estatal.

De acordo com a agência de notícias estatal Petra, o atirador foi preso em flagrante. Uma fonte da segurança disse ainda que se tratava de um pastor muçulmano de 39 anos de uma mesquita na capital.

Hattar, cristão e ativista anti-islâmico que apoiava o presidente sírio Bashar al-Assad, foi detido no mês passado depois de compartilhar uma caricatura que mostrava um homem barbudo deitado em uma cama com mulheres e fumando no céu, pedindo a Deus para trazer vinho e castanhas.

No desenho, o homem também pede a Deus para lavar a louça e colocar uma porta em sua tenda e bater antes de entrar.

Muitos jordanianos muçulmanos conservadores consideraram ofensiva a ação de Hattar. De acordo com as autoridades, ele violou a lei ao compartilhar a caricatura.

Citando uma fonte da segurança, a agência estatal de notícias informou que Hattar foi morto ao levar três tiros disparados por um homem no palácio da justiça da capital jordaniana.

“O agressor foi preso e as investigações estão em curso”, disse a Petra, citando a fonte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos