Rei da Jordânia pede que premiê forme novo governo

AMÃ (Reuters) - O primeiro-ministro da Jordânia, Hani Mulki, foi convidado pelo rei a formar um novo governo após uma eleição parlamentar, segundo uma declaração o palácio feita no domingo.

Mulki, 64 anos, que ocupou uma série de cargos diplomáticos e ministeriais, conquistou mais um mandato para continuar a tentar rejuvenescer uma economia lenta e retomar a confiança de empresas em um momento de turbulência regional.

O Parlamento deve se reunir no próximo mês com a Irmandade Muçulmana da Jordânia, ganhando uma posição depois de encerrar um boicote de uma década e voltando para a briga como o apoio de uma ampla aliança cívica.

A aliança, que incluía figuras independentes proeminentes e ex-funcionários do governo, conquistou quinze assentos no Parlamento de 130 membros.

Mulki, que foi nomeado em maio e acusado de condução da eleição, foi convidado pelo rei Abdullah para formar um novo gabinete, informou o palácio real.

Nos termos da Constituição, a maioria dos poderes fica com o rei, que nomeia o governo, aprova legislação e pode dissolver o Parlamento.

Uma fonte do governo disse à Reuters que o novo governo deve ser empossado até o fim desta semana.

(Por Suleiman Al-Khalidi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos