Trump promete ser mais duro com Hillary em próximo debate presidencial nos EUA

Por Steve Holland e John Whitesides

HEMPSTEAD, Estados Unidos (Reuters) - O republicano Donald Trump prometeu nesta terça-feira que irá bater mais forte em sua rival democrata Hillary Clinton no próximo debate presidencial dos Estados Unidos, depois de a ex-senadora o colocar na defensiva acusando-o de ser racista, sexista e de se esquivar de pagar impostos durante seu primeiro confronto.

Hillary voltou a criticar Trump um dia depois de uma atuação enérgica no primeiro de três debates presidenciais antes da eleição de 8 de novembro. O magnata do setor imobiliário de Nova York, disse ela, "estava fazendo ataques e alegações que eram comprovadamente falsos, oferecendo opiniões que acho que muitas pessoas achariam ofensivas e desagradáveis".   

Trump, que concorre a seu primeiro cargo público, elogiou a si mesmo por não atacar Hillary a respeito da infidelidade conjugal de seu marido, o ex-presidente Bill Clinton, durante o debate na Universidade Hofstra, mas disse em uma entrevista concedida na manhã desta terça-feira ao canal Fox News que pode partir para o ataque mais adiante.

"Posso bater mais forte nela de algumas maneiras", disse Trump em uma entrevista por telefone ao programa "Fox & Friends". Ele acrescentou que quando Hillary o criticou pela maneira como trata as mulheres, ele resistiu. "Eu ia atacá-la com as mulheres de seu marido. E decidi que não deveria fazê-lo, porque sua filha estava no recinto."

A ex-primeira-dama desdenhou da promessa de Trump, dizendo "ele pode comandar sua campanha como bem entender".

O próprio bilionário teve um caso muito comentado com Marla Maples, a mulher que se tornaria sua segunda esposa enquanto ele ainda era casado com sua primeira esposa, Ivana Trump. Mais adiante ele se divorciou de Maples e se casou com sua terceira e atual esposa, Melania Trump.

A audiência televisiva do debate parece ter se aproximado dos 80 milhões de espectadores, um recorde para tais eventos estabelecido nos anos 1980, segundo dados iniciais da empresa de medição Nielsen citados pela mídia norte-americana nesta terça-feira.

Trump tentou rebater as críticas sobre seu desempenho no debate, afirmando que seu moderador, Lester Holt, da rede NBC News, lhe fez "perguntas muito injustas" e que lhe deram um microfone "muito ruim".

Hillary, que conversou com repórteres em seu avião de campanha, disse que "qualquer um que se queixe do microfone não está tendo uma boa noite".

Há mais dois debates programados para 9 de outubro em St. Louis e 19 de outubro em Las Vegas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos