Pobreza na Argentina atinge 32,2% da população

BUENOS AIRES (Reuters) - Quase um terço da população da Argentina vive na pobreza, disse o governo nesta quarta-feira, ao divulgar os primeiros dados oficiais sobre pobreza em três anos, ressaltando a dificuldade que o presidente Mauricio Macri terá para alcançar sua meta de "pobreza zero".

Em uma pesquisa com 27,2 milhões de pessoas em 31 áreas urbanas, 8,8 milhões de pessoas, ou 32,2 por cento, estavam abaixo da linha da pobreza. Pouco mais de 6 por cento foram classificadas como "indigentes" no segundo trimestre de 2016, disse a agência de estatísticas do governo, a Indec.

"Saber que um em três argentinos se encontra abaixo da linha da pobreza é algo que nos machuca, algo que nos enfurece e que faz com que nos comprometamos a trabalhar juntos", disse Macri.

A taxa de pobreza da Argentina é substancialmente mais alta que a do vizinho Chile, que reduziu a pobreza para 11,7 por cento em 2015, ante 14,4 por cento em 2013. Nos Estados Unidos, 13,5 por cento da população vivia na pobreza em 2015, uma queda ante 14,8 por cento em 2014.

(Por Luc Cohen)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos