Milhares de israelenses dão último adeus a ex-presidente Shimon Peres

Por Jeffrey Heller

JERUSALÉM (Reuters) - Milhares de israelenses passaram pelo caixão de Shimon Peres do lado de fora do Parlamento israelense, nesta quinta-feira, homenageando o ex-presidente e ex-primeiro-ministro louvado em todo o mundo por seus esforços nas conversas de paz com os palestinos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está entre os dignitários estrangeiros que devem comparecer na sexta-feira ao enterro do ganhador do Prêmio Nobel da Paz, que morreu na quarta-feira, aos 93 anos, duas semanas depois de sofrer um derrame.

Tendo em conta que as negociações de paz entre israelenses e palestinos estão paradas desde 2014, não está claro se o presidente palestino, Mahmoud Abbas, que enviou uma carta de condolências à família de Peres, irá viajar da vizinha Ramallah a Jerusalém para a cerimônia.

Os líderes de Egito e Jordânia, os únicos Estados árabes que assinaram tratados de paz com Israel, não estão na lista de participantes divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores israelense.

Acredita-se que dezenas de milhares de pessoas irão visitar o caixão de Peres durante as 12 horas do memorial desta quinta-feira na praça do Parlamento, onde o atual premiê, Benjamin Netanyahu, e o presidente de Israel, Reuven Rivlin, depositaram coroas de flores.

"Viemos prestar nossas homenagens a um homem maravilhoso que achávamos que duraria para sempre", disse Michael Leon, bancário nascido no Reino Unido. "Ele foi um homem com um grande sonho de trazer paz para esta região, o novo Oriente Médio. Lamentavelmente, não atingimos esse objetivo ainda, mas seguimos adiante com seus propósitos".

O príncipe britânico Charles, o ex-presidente norte-americano Bill Clinton e o presidente da França, François Hollande, devem estar presentes ao funeral de Peres no cemitério Monte Herzl de Jerusalém, em um setor dedicado aos "Grandes Líderes da Nação".

Peres dividiu o Prêmio Nobel da Paz de 1994 com o falecido primeiro-ministro Yitzhak Rabin e com o também falecido ex-líder palestino Yasser Arafat pela obtenção de um acordo de paz provisório em 1993, os Acordos de Oslo, que entretanto jamais se transformaram em um tratado duradouro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos