OMS diz que 338 pessoas morreram em cidade síria de Aleppo nas últimas semanas

GENEBRA (Reuters) - Confrontos na cidade síria ocupada de Aleppo mataram 338 pessoas nas últimas semanas, incluindo 106 crianças, e deixaram 846 feridos, sendo 251 crianças, disse nesta sexta-feira uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Estamos pedindo quatro coisas: parem com as mortes, parem ataques contra instituições de saúde, deixem os doentes e feridos saírem e deixem a ajuda entrar", disse o chefe de riscos de emergência e resposta humanitária da OMS, Rick Brennan, durante entrevista coletiva da ONU em Genebra. "A situação é realmente incomensurável", acrescentou.

Forças da Rússia e Síria iniciaram uma campanha para retomar um setor de Aleppo tomado por rebeldes neste mês, abandonando um cessar-fogo uma semana após o acordo que o criou.

Brenna disse não ter detalhes sobre os tipos de ferimentos, mas disse ser óbvio o que esperar.

"Haverá ferimentos de estilhaços, haverá ferimentos de explosões, haverá queimaduras, ferimentos de penetração na cabeça, peito e abdômen. Haverá membros perdidos, haverá fraturas. Os tipos de ferimentos são previsíveis.

Nenhum hospital tinha condições de receber centenas de pacientes de uma vez só, disse ele.

Brennan disse que a OMS possui suprimentos prontos há semanas para atender 140 mil pessoas, mas que a situação de segurança não permitiu a entrada de equipamentos médicos essenciais na cidade.

(Por Tom Miles)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos