PUBLICIDADE
Topo

Após fala racista de Fernández, Bolsonaro compara presidente argentino com Maduro

2.jun.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), durante pronunciamento em rede nacional de rádio e TV - Anderson Riedel/PR
2.jun.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), durante pronunciamento em rede nacional de rádio e TV Imagem: Anderson Riedel/PR

Lisandra Paraguassu

Da Reuters, em Brasília

10/06/2021 13h12Atualizada em 10/06/2021 13h35

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comparou nesta quinta-feira o presidente da Argentina, Alberto Fernández, com o líder venezuelano, Nicolás Maduro, após declaração do mandatário argentino na véspera sobre as origens dos brasileiros, mas garantiu que a rivalidade com os vizinhos se dá apenas no futebol.

"O presidente da Argentina falou que eles vieram da Europa de barco e nós viemos da selva. Eu lembro uma coisa, logo que Chávez (ex-presidente venezuelano) morreu, assumiu Maduro, e ele falava que conversava com passarinhos que estavam encarnados na figura do Chávez", disse Bolsonaro a apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada nesta manha.

"Eu acho que Maduro e Fernández, para eles não têm vacina", acrescentou o presidente brasileiro, como quem diz que os dois líderes não têm jeito.

Na quarta-feira, em uma visita oficial do primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, Fernández estava falando dos laços que ligam a Argentina à Europa, quando deu uma declaração polêmica, apontada como racista por alguns críticos.

"Os mexicanos vieram dos índios, os brasileiros vieram da selva, mas nós, os argentinos, viemos dos barcos. E eram barcos que vinham da Europa?", disse Fernández.

Mais tarde, em seu Twitter, o presidente argentino pediu desculpas. "Não quis ofender a ninguém, mas de qualquer forma, a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado, desde já minhas desculpas", escreveu.

Na noite de quarta, Bolsonaro já havia tuitado uma foto onde aparece sorrindo cercado de indígenas, escrevendo simplesmente a palavra "selva" em letra maiúscula, com o emoji da bandeira brasileira ao lado.

Ainda a apoiadores, Bolsonaro disse que trocou mensagens com o ex-presidente da Argentina Mauricio Macri, antecessor de Fernández e aliado do presidente brasileiro, nesta quinta e que está tudo bem na relação com os argentinos.

"Eu troquei mensagem hoje com ex-presidente Macri. Não tem nenhum problema entre nós e nem com povo argentino. Rivalidade com a Argentina só no futebol", disse.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.