PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Após fala racista de Fernández, Bolsonaro ironiza e posta foto com índios

Siga o UOL no

Do UOL, em São Paulo

09/06/2021 21h26Atualizada em 10/06/2021 08h52

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu a uma fala racista do presidente argentino, Alberto Fernández, e publicou foto ao lado de índios nas redes sociais. Na legenda, Bolsonaro escreveu a palavra "selva" e postou a bandeira do Brasil. (Veja abaixo)

Fernández afirmou hoje que, enquanto "mexicanos vieram dos índios e os brasileiros vieram da selva", "nós, argentinos, viemos de barcos da Europa". A fala preconceituosa ocorreu durante encontro com primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, em Buenos Aires.

O líder argentino acreditava fazer menção a uma frase erroneamente atribuída ao diplomata mexicano e Prêmio Nobel de Literatura Octavio Paz (1914-1998), que teria dito "os mexicanos são descendentes de astecas, os peruanos dos incas e os argentinos dos barcos". O presidente, porém, confundiu a frase que é, na verdade, trecho da canção "Llegamos de los barcos", do compositor Litto Nebbia.

Após repercussão negativa, o presidente argentino pediu desculpas e disse que não era sua intenção ofender ninguém.

"Afirmou-se mais de uma vez que 'os argentinos descendem de navios'. Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que viviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho", escreveu ele em seu Twitter. "Eu não quis ofender ninguém, em qualquer caso, peço desde já desculpas a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado".

Com frequência Bolsonaro ataca o presidente da Argentina e a sua vice Cristina Kirchner, ambos de esquerda. "O que o pessoal fez com Macri? Porrada nele o dia todo, inclusive [o] acusando de 'abortista'. O que aconteceu? Voltou a 'esquerdalha' da Cristina Kirchner", disse em outubro. "Está aí, povo argentino. Lamento, é o que vocês merecem."

Bolsonaristas criticam Fernández

Apesar da retratação de Fernández, apoiadores de Bolsonaro criticaram a declaração racista, dentre eles, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente. Em mensagem postada em seu perfil, no Twitter, o parlamentar chamou Fernández de "racista".

"Não dirão que foi racista contra indígenas e africanos que formaram o Brasil? Porém, afirmo: o barco que está afundando é o da Argentina", ironizou Eduardo.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) também se manifestou sobre o episódio e relembrou da amizade entre Lula e Fernández —em março, o presidente argentino comemorou a anulação das condenações de Lula na Lava Jato.

"Alberto Fernández, o presidente 'Lula Livre' da Argentina, esbanja carinho e respeito pelo povo brasileiro", escreveu.

*Com informações da agência ANSA

Política