PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Inquérito sobre explosão em Beirute pode levar Líbano a nova crise

Explosão na região portuária de Beirute em setembro de 2020 - Social Media
Explosão na região portuária de Beirute em setembro de 2020 Imagem: Social Media

Maha El Dahan e Laila Bassam

Da Reuters

13/10/2021 13h21Atualizada em 13/10/2021 13h46

A tensão crescente a respeito de um inquérito judicial sobre a explosão do ano passado no porto de Beirute ameaça lançar o Líbano em mais uma crise política, testando o novo governo do primeiro-ministro Najib Mikati no momento em que este luta para tirar o país de um colapso econômico.

Mais de um ano desde que a explosão abalou Beirute, matando mais de 200 pessoas, os esforços do juiz Tarek Bitar para responsabilizar autoridades graduadas por uma suposta negligência estão enfrentando uma reação política cada vez maior.

Acredita-se que ministros alinhados aos políticos que Bitar tenta ouvir pedirão o afastamento do magistrado em uma reunião de gabinete nesta quarta-feira. No dia anterior, o tema interrompeu uma sessão tumultuada.

Mas a sessão foi adiada até que se acertem os termos para lidar melhor com a desavença em relação ao juiz, disse uma fonte oficial à Reuters.

Trata-se de uma grande distração que pode minar Mikati, que tomou posse no mês passado depois de mais de um ano de disputas a respeito de vagas no gabinete, enquanto o Líbano afunda ainda mais em uma das piores depressões econômicas do mundo, dizem analistas.

A tensão também sublinha a grande influência do Hezbollah, grupo xiita fortemente armado e apoiado pelo Irã que pede que Bitar seja substituído, acusando-o de realizar um inquérito politizado que se concentra em determinadas pessoas.

Internacional