PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Corte dos EUA avalia pena de morte contra envolvido em atentado na Maratona de Boston

14.abr.2014 - Cruzes com os nomes das vítimas do ataque à Maratona de Boston são expostos em mostra intitulada "Querida Boston: mensagens do memorial da maratona", na Boston Public Library, em Massachusetts - Andrew Burton/Getty Images/AFP
14.abr.2014 - Cruzes com os nomes das vítimas do ataque à Maratona de Boston são expostos em mostra intitulada "Querida Boston: mensagens do memorial da maratona", na Boston Public Library, em Massachusetts Imagem: Andrew Burton/Getty Images/AFP

Lawrence Hurley e Nate Raymond

13/10/2021 12h06Atualizada em 13/10/2021 12h36

A Suprema Corte dos Estados Unidos deve ouvir nesta quarta-feira um pedido do governo federal para readotar a pena de morte contra Dzhokhar Tsarnaev por seu papel na explosão que matou três pessoas e feriu mais de 260 outras na Maratona de Boston.

Apesar da intenção declarada do presidente Joe Biden de erradicar a pena capital em nível federal, seu governo optou por apresentar uma apelação, lançada inicialmente pelo Departamento de Justiça do antecessor Donald Trump, contra um veredicto de um tribunal inferior que reverteu a pena de morte de Tsarnaev.

Nenhum presidiário federal era executado há 17 anos até Trump liberar 13 execuções em seus últimos seis meses de mandato.

Uma das questões postas aos nove juízes é se a atenção midiática global gerada pelo ataque a bomba pode ter influenciado os jurados, uma questão que a instância inferior acreditou que o juiz distrital George O'Toole, que presidiu o julgamento, não tratou de forma suficiente durante o processo de seleção do júri.

Os juízes também analisarão se O'Toole excluiu indevidamente indícios relacionados a um assassinato triplo de 2011 ligado ao irmão mais velho de Tsarnaev. Advogados de Tsarnaev, que tinha 19 anos na época do ataque, argumentam que ele desempenhou um papel secundário em relação ao irmão Tamerlan, que descrevem como "uma figura autoritária" com "crenças violentas de um extremista islâmico".

As vítimas do atentado estão divididas quanto à execução de Tsarnaev.

Internacional