PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
6 meses

Em meio à crise, Rússia pede que Otan descarte filiação futura da Ucrânia

Ucrânia acusa o governo russo de planejar uma invasão, o que a Rússia nega - Gints Ivuskans/AFP
Ucrânia acusa o governo russo de planejar uma invasão, o que a Rússia nega Imagem: Gints Ivuskans/AFP

Vladimir Soldatkin e Tom Balmforth

Em Moscou (Rússia)

10/12/2021 15h18Atualizada em 10/12/2021 15h21

A Rússia exigiu hoje que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) rescinda um compromisso de 2008 com a Ucrânia e a Geórgia para filiá-las no futuro.

O país eurasiático também disse que a aliança deveria prometer não posicionar armas em países que fazem fronteira com o território russo.

As exigências foram explicitadas pelo Ministério das Relações Exteriores russo em seu comunicado mais extenso até hoje a respeito das garantias de segurança que o presidente Vladimir Putin diz querer obter dos Estados Unidos e aliados.

Elas incluem propostas para se estabelecer um diálogo de defesa frequente e evitar acidentes em potencial entre aviões militares e navios de guerra, e poderiam formar a base de um debate com os EUA na esteira de uma videoconferência de duas horas entre Putin e o presidente norte-americano, Joe Biden.

Mas a exigência de um poder de veto russo efetivo à filiação da Ucrânia à Otan, o ponto de atrito mais volátil das relações entre a Rússia e o Ocidente, é algo que EUA e a Ucrânia já descartaram categoricamente.

A chancelaria disse que a Otan está a caminho de acolher a Ucrânia, o que levaria à instalação de sistemas de mísseis ali que visariam a Rússia.

"Tal comportamento irresponsável cria ameaças inaceitáveis para nossa segurança e provoca riscos militares sérios para todas as partes envolvidas, ao ponto de um conflito de larga escala na Europa", disse o ministério russo.

A Ucrânia acusa a Rússia de reunir dezenas de milhares de soldados na fronteira como preparativo para uma possível ofensiva militar de larga escala.

Internacional