Conteúdo publicado há 1 mês

Combates continuam em Gaza após Israel anunciar pausa tática, diz agência da ONU

As hostilidades continuam em Rafah e no sul de Gaza, apesar do anúncio feito pelas Forças Armadas israelenses no domingo de pausas táticas nas operações para permitir a entrada de ajuda humanitária, disse o chefe da UNRWA, Philippe Lazzarini, a repórteres em Oslo na segunda-feira.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, criticou no domingo os planos anunciados pelos militares de realizar pausas diárias nos combates ao longo de uma das principais estradas para o enclave palestino.

Lazzarini, comissário geral da UNRWA, agência da ONU para refugiados palestinos e principal organização que fornece ajuda humanitária a Gaza, disse que não houve pausa nos combates.

"Houve informações de que tal decisão foi tomada, mas o nível político diz que nenhuma dessas decisões foi tomada", afirmou Lazzarini em uma entrevista coletiva.

"Portanto, por enquanto, posso dizer que as hostilidades continuam em Rafah e no sul de Gaza. E que, operacionalmente, nada mudou ainda."

Os militares israelenses disseram na segunda-feira que suas forças continuavam concentradas em operações baseadas em inteligência na área de Rafah, que incluíam combates próximos com militantes e apreensão e destruição de armas.

No fim de semana, os militares anunciaram pausas diárias das 2h às 13h (horário de Brasília) na área que vai do cruzamento de Kerem Shalom, no sul de Israel, até a estrada de Salah al-Din e depois para o norte. Posteriormente, esclareceram que as operações normais continuariam em Rafah, o foco principal de sua operação no sul de Gaza.

Enquanto isso, os moradores disseram que as forças israelenses estavam avançando mais profundamente nas regiões central e oeste de Rafah, sob fogo pesado do solo e do ar na segunda-feira.

Grupos armados liderados pelo Hamas estavam lutando a curta distância dentro do campo de Al-Shaboura, no coração de Rafah, de acordo com militantes e moradores, que relataram ter ouvido sons de explosões ininterruptas e tiros.

Continua após a publicidade

Mais tarde, Lazzarini disse à Reuters que a UNRWA recebeu uma notificação dos militares israelenses de que haveria uma pausa, mas que ela estava apenas em inglês, não em qualquer outro idioma, e logo foi seguida pelo governo contradizendo essa instrução.

"Por enquanto, não vejo nada que se qualifique para a definição de uma pausa", disse ele.

*Reportagem de Gwladys Fouche em Oslo; reportagem adicional de Maayan Lubell em Jerusalém

Deixe seu comentário

Só para assinantes