PUBLICIDADE
Topo

Bairro em que viveu George Floyd presta suas homenagens: "Queremos entender"

Chefe da Polícia de Houston anda abraçado com uma manifestante durante um protesto que pede justiça para George Floyd - Mark Felix/AFP
Chefe da Polícia de Houston anda abraçado com uma manifestante durante um protesto que pede justiça para George Floyd Imagem: Mark Felix/AFP

Thomas Harms, enviado especial da RFI a Houston

04/06/2020 11h40

A cidade de Houston, no Texas, foi onde George Floyd cresceu e onde será enterrado na terça-feira (9). No bairro popular onde morava, seu rosto reaparece em preto e branco, com grandes asas, sob a frase: "Para sempre respirando em nossos corações".

O norte-americano de 46 anos morto durante uma abordagem policial em Minneapolis, ao norte dos Estados Unidos, havia deixado a cidade de Houston, no Texas, em 2014, em busca de uma vida melhor.

No bairro popular em que cresceu, Third Ward, os antigos vizinhos prestam homenagens sob o mural pintado ao lado de um armazém, a duas ruas de onde morou "Big Floyd".

"Nós o conhecíamos como Big Floyd, fomos à mesma escola", conta Courtney, um vizinho. Ele lembra o vídeo que mostra o policial Derek Chauvin asfixiando Floyd com seu joelho durante mais de oito minutos: "É a coisa mais terrível que eu já assisti na minha vida. É absurdo. Ele chamava pela mãe, a mãe dele está morta... Você só chama sua mãe morta quando luta pela sua vida".

Questionado sobre as mensagens do presidente Donald Trump, Courtney responde: "Não sei quem é ele. Não falo sobre ele. Não é meu presidente. A hora dele chegou."

"Queremos entender"

Ao volante de uma caminhonete branca, Gloria, 76, estende uma camiseta que acabou de comprar. A peça traz estampada a mensagem: "Não consigo respirar. Descanse em paz, George Floyd".

"Meu filho jogou futebol americano com ele na escola Yates", conta. Para a idosa, o problema são os "racistas". "Eles estão todos os dias em todos os lugares. Às vezes, você percebe pelo jeito que as pessoas olham para você. Você ficaria surpreso: as pessoas trombam com você, algumas se desculpam, outras não."

O discurso de Gloria repete os cartazes e as palavras de ordem cantadas em manifestações por todo o país desde a semana passada. O que ela acha dos protestos? "Não vejo nada de errado neles. Queremos entender, também somos humanos, somos pessoas!"

Mais de 6 mil pessoas nas ruas

Em Houston, negros, imigrantes, latinos, asiáticos e brancos foram às ruas na terça-feira (2), ao lado da família de Floyd. Mais de 6 mil pessoas marcharam contra a violência policial nessa cidade do Texas.

Como outros policiais pelos Estados Unidos, o chefe de polícia de Houston, Art Acevedo, se ajoelhou ao lado dos manifestantes. E mesmo o deputado republicano Will Hurd, único republicano negro no Congresso, participou do protesto.

"Nunca pensei que houvesse tantas pessoas pelo meu irmão", disse Philonyse Floyd, irmão de George, diante da prefeitura de Houston. "Eu não estaria aqui sem vocês. Ficaria em casa em choque sentado na minha cadeira. Estou sofrendo. Eu amo meu irmão."

A cidade aguarda agora o corpo de Floyd, que deve chegar na segunda-feira (8) para as últimas homenagens antes do enterro, marcado para o dia seguinte.

Internacional