PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Universidade de Oxford decide derrubar estátua de colonizador e supremacista branco

17.jun.2020 - Estátua do britânico Cecil Rhodes, na Universidade de Oxford, na Inglaterra, será removida. O empresário imperialista Rhodes é alvo de protestos da comunidade universitária, que ganhou força com o movimento #BlackLivesMatter - Adrian Dennis/AFP
17.jun.2020 - Estátua do britânico Cecil Rhodes, na Universidade de Oxford, na Inglaterra, será removida. O empresário imperialista Rhodes é alvo de protestos da comunidade universitária, que ganhou força com o movimento #BlackLivesMatter Imagem: Adrian Dennis/AFP

Muriel Delcroix, correspondente da RFI em Londres

18/06/2020 14h53

A estátua do colonizador Cecil Rhodes, na tradicional Universidade de Oxford, na Inglaterra, será derrubada. Ontem, os funcionários da faculdade votaram a favor da retirada da homenagem, após a pressão de manifestantes antirracistas.

Os estudantes que lançaram a campanha "Cecil Rhodes must fall" comemoraram uma primeira vitória: depois de terem seu pedido ignorado por cinco anos, por medo de ofender os generosos financiadores privados da universidade, Oxford decidiu remover em breve a estátua do colonizador do espaço público e colocá-la em um museu.

Os diretores da famosa instituição britânica também anunciaram o estabelecimento de uma comissão independente de investigação sobre as questões levantadas pelas ações desse imperialista do século 19, que acreditava na superioridade da raça branca. Após sua morte, esse ex-aluno de Oxford havia deixado parte de sua fortuna para a universidade.

Os ativistas permanecem alertas e não vão parar de pressionar até que a decisão seja concretizada. Esta campanha e a de #BlackLivesMatter parecem começar a mudar as coisas: duas grandes empresas, o banco Lloyd's de Londres e a rede de bares Green King, estão prestes a pagar uma compensação por antigos laços com o tráfico de escravos.

O Lloyd's assegurou muitos navios negreiros, e um dos fundadores do Green King, dono de plantações, possui um histórico de campanha contra a abolição da escravidão. Ambos os grupos pediram desculpas publicamente e anunciaram doações significativas para agências de apoio a minorias étnicas.

Internacional