PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Eleição colombiana: popular no TikTok, candidato antissistema ameaça vaga da direita no 2º turno

Gustavo Petro, candidato a presidente da Colômbia - Luisa Gonzalez/Reuters
Gustavo Petro, candidato a presidente da Colômbia Imagem: Luisa Gonzalez/Reuters

28/05/2022 10h42

Na véspera das eleições presidenciais da Colômbia, o candidato de esquerda, Gustavo Petro, é o favorito nas pesquisas de intenção de votos. O candidato conservador de direita, Federico Gutierrez, disputa a vaga no segundo turno com um nome antissistema e que está ganhando espaço na internet, Rodolfo Hernandez.

O primeiro turno das eleições presidenciais na Colômbia acontece neste domingo (29). Gustavo Petro, o favorito na votação, é um ex-guerrilheiro e ex-prefeito de Bogotá. O candidato da esquerda segue liderando as pesquisas com mais de 40% das intenções de voto.

"Tenho certeza de que vamos mudar a história da Colômbia", disse ele confiante, durante a seu último comício., no domingo (22). Pela primeira vez, o ex-guerrilheiro tem uma chance real de se tornar o primeiro presidente de esquerda da Colômbia, país tradicionalmente governado pela direita. Esta é a terceira vez que o senador social-democrata se lança candidato, num dos países mais desiguais do mundo.

O programa antiliberal de Petro atende às demandas de centenas de milhares de manifestantes colombianos que saíram às ruas no ano passado. O candidato promete aumentar impostos para os mais ricos, aumentar os salários e garantir educação pública de qualidade.

Os rivais conservadores, no entanto, descrevem Gustavo Petro como um extremista de esquerda. Sua retórica contra a corrupção e a favor da aplicação dos acordos de paz de 2016 com as Farc entra em choque com os interesses de grupos paramilitares, sem falar dos narcotraficantes. Durante várias semanas, o candidato andou escoltado por cerca de 60 guarda-costas. O risco de um ataque contra ele é considerado real: no início do mês, Gustavo Petro teve de cancelar uma viagem após receber ameaças de morte de um grupo criminoso.

Direita apoia ex-prefeito de Medelín

Em segundo lugar nas pesquisas aparece o candidato conservador Federico Gutierrez, conhecido como Fico, que foi conselheiro municipal em Medelín entre 2004 e 2012, antes de ser eleito prefeito da cidade. Durante o seu mandato, de 2016 a 2020, Gutierrez atuou com mão de ferro contra as redes do crime organizado, relata o correspondente da RFI na capital colombiana, Najet Benrabaa.

Além de ser conhecido pela repressão aos líderes de gangues de traficantes, Gutierrez também é responsável pelo maior investimento da história do país em educação, pela elevação dos níveis de emprego e de empreendedorismo. Seu índice de popularidade, no cargo de prefeito, ultrapassava 80%.

Aos 47 anos, o engenheiro civil de carreira também é urbanista e consultor em segurança urbana. Ele concorre à presidência sem partido político, mas com uma coalizão chamada "Equipo por Colombia" (Equipe pela Colômbia, em tradução livre). O grupo reúne várias legendas de direita e de centro e tem o apoio dos partidos mais tradicionais, como o Centro Democrático, o Partido U e a Mudança Radical.

O discurso de campanha de Gutierrez se concentra, principalmente, na "preservação da democracia e das liberdades" contra o candidato de esquerda, Gustavo Petro, apontado como o representante de um "projeto populista e autoritário".

Rodolfo Hernández Suárez, candidato populista e surpresa

Entretanto, em um sinal de que os colombianos estão cansados —dos partidos tradicionais, o segundo lugar de Federico Gutierrez é ameaçado pelo candidato independente, Rodolfo Hernández Suárez, que vem crescendo nas pesquisas. "Quando falo de combate à corrupção, quero dizer que a Colômbia precisa de uma renovação moral", diz o candidato que, até algumas semanas atrás, era desconhecido no cenário político nacional.

Para sustentar suas declarações, o milionário, que fez fortuna construindo moradias sociais, financiou sua própria campanha eleitoral. Ele não faz comícios e tem uma equipe de campanha reduzida, de apenas oito pessoas. Seus vídeos com promessas fáceis não revelam nenhum programa de governo detalhado. Porém, a estratégia tem sido um sucesso nas redes sociais e transformaram o candidato, de 76 anos, no "queridinho" dos jovens usuários do TikTok.

É o caso do estudante Santiago, que vai votar em "Rodolfo", como todos o chamam. "No início, ele estava muito mal nas pesquisas. Mas, de repente, nós o vimos crescer. Ele é um forte candidato, mesmo se pertence à velha política. Ele tem um caráter forte e muita franqueza", admira o jovem, entrevistado em Bogotá pela enviada especial da RFI, Stefanie Schüler.

É justamente esse avanço espetacular de Hernández Suarez nas intenções de voto que preocupa o favorito Gustavo Petro. O candidato populista atrai votos de centro e vozes antissistema, os mesmos eleitores que Gustavo Petro precisa para chegar ao segundo turno.

(Com informações da RFI)

Internacional