Conteúdo publicado há 2 meses

Uber terá que pagar indenização de R$ 892 milhões a taxistas australianos

Após cinco anos de batalha legal, a empresa Uber foi condenada a pagar 271,8 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 892 milhões) em indenização a taxistas australianos pela perda de receitas, anunciaram os advogados do caso nesta segunda-feira (18).

Mais de 8.000 motoristas de táxi entraram com uma ação coletiva contra a plataforma, lamentando perdas significativas de receitas desde a sua chegada ao mercado australiano, em 2012.

A ação coletiva resultou na quinta maior compensação na Austrália para este tipo de processo, disse Michael Donelly, diretor do escritório de advocacia Maurice Blackburn Lawyers, que os representou.

"A Uber lutou com unhas e dentes em cada etapa do processo, todos os dias, durante os cinco anos deste julgamento, sempre tentando negar aos nossos membros do nosso grupo qualquer forma de recurso ou compensação por suas perdas", disse Donelly.

"Depois de anos de recusa (...) a Uber cedeu", acrescentou, elogiando a forma como "milhares de australianos comuns se uniram para enfrentar um gigante global".

De acordo com os advogados, a empresa se envolveu em "uma série de condutas irregulares" quando foi lançada no país, incluindo o uso de "carros sem licença, com motoristas não credenciados".

Sem regulamentação no início

O principal demandante do processo, Nick Andrianakis, disse à mídia local que foi forçado a fechar seu negócio de táxis após 40 anos no mercado quando o Uber foi lançado.

"Perdi a paixão pelo trabalho (...) e perdi a renda que permitia alimentar minha família", disse ele.

Continua após a publicidade

A plataforma americana de transporte privado urbano através de aplicativo, avaliada na bolsa em cerca de U$ 157 bilhões (R$ 750 bilhões), não quis comentar o valor da indenização.

"Quando a Uber começou, há mais de uma década, não havia regulamentações sobre este tipo de transporte compartilhado em nenhum lugar do mundo, muito menos na Austrália", disse o grupo.

"Hoje é diferente, a Uber é regulamentada em todos os estados e territórios da Austrália e os governos nos reconhecem como uma parte importante da oferta de transporte do país."

No final do ano passado, um tribunal de Paris ordenou a empresa a pagar uma indenização de quase ? 850 mil (cerca de R$ 4,4 milhões) a 149 motoristas de táxi franceses por atos de "concorrência desleal" relacionados à uma de suas ofertas que não existe mais.

Deixe seu comentário

Só para assinantes