Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2013/02/06/conheca-o-presidio-para-policiais-militares-romao-gomes-em-sao-paulo.htm
  • totalImagens: 44
  • fotoInicial: 4
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130206060000
    • São Paulo [5110]; São Paulo [5106]; Sudeste [46294];
    • Segurança pública [33342]; Presídios pelo Brasil [64523]; Onda de violência em São Paulo [64036];
Fotos
O tenente coronel Daniel Augusto Ramos Ignácio dirige o Presídio Militar Romão Gomes, onde 185 policiais militares cumprem pena ou aguardam julgamento. Segundo ele, o receio de uma transferência para o sistema prisional comum ajuda a manter a disciplina no local Fernando Donasci/UOL Mais
Painel na entrada do Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte de São Paulo, onde policiais militares cumprem pena ou aguardam julgamento Fernando Donasci/UOL Mais
Policial fecha a porta que dá acesso à área dos alojamentos do presídio. Toda a guarda do Romão Gomes é composta por policiais militares Fernando Donasci/UOL Mais
Detento descansa na quadra de esportes. Caso não estejam trabalhando, eles têm autorização para utilizar a quadra ou a academia até as 18 horas Fernando Donasci/UOL Mais
Internos se exercitam caminhando ao redor da quadra de esportes na área dos alojamentos. Os presos que apresentam bom comportamento têm direito a mais horas livres para o banho de sol ou atividades laborterápicas Fernando Donasci/UOL Mais
Detento coloca churrasqueiras recém-pintadas feitas na oficina para secar do lado de fora. Tudo o que é produzido no presídio é vendido, e o dinheiro dividido entre o interno, sua família, outros presos e o Estado. Para cada três dias trabalhados, o preso consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Churrasqueiras recém-pintadas secam do lado de fora da oficina. Alguns modelos fabricados no presídio podem custar até R$ 250, e o dinheiro das vendas é dividido entre o interno, sua família, outros presos e o Estado. Para cada três dias trabalhados, o preso consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Internos se exercitam caminhando ao redor da quadra de esportes na área dos alojamentos. Os presos que apresentam bom comportamento têm direito a mais horas livres para o banho de sol ou atividades laborterápicas Fernando Donasci/UOL Mais
Preso lê jornal em alojamento do presídio. Assim que chega à prisão, o interno fica até quatro meses no bloco das celas, onde têm direito a menos tempo de visitação e fica confinado 22 horas por dia. Depois deste período de adaptação, eles vão para alojamentos mais espaçosos e podem trabalhar nas oficinas Fernando Donasci/UOL Mais
Detento caminha pelo corredor do bloco de alojamentos do presídio. Assim que chega à prisão, o interno fica até quatro meses no bloco das celas, onde têm direito a menos tempo de visitação e fica confinado 22 horas por dia. Depois deste período de adaptação, eles vão para alojamentos mais espaçosos e podem trabalhar nas oficinas Fernando Donasci/UOL Mais
Interno retira livro na biblioteca do presídio. Os presos que que apresentam bom comportamento podem optar por inúmeras atividades de trabalho e lazer Fernando Donasci/UOL Mais
Entre os volumes disponíveis para os detentos na biblioteca do presídio está uma versão em inglês do livro 'O Último Chefão', do escritor Mario Puzo, autor de 'O Poderoso Chefão' Fernando Donasci/UOL Mais
Bancos e sofás confeccionados pelos internos na oficina de tapeçaria são expostos na entrada do local. O publico externo pode levar sofás e poltronas para serem reformados pelos presos, basta fazer um cadastro no presídio. Para cada três dias trabalhados, o preso consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Interno trabalha na oficina de tapeçaria, uma das inúmeras atividades disponíveis para os presos que apresentam bom comportamento. O publico externo pode levar sofás e poltronas para serem reformados pelos presos, basta fazer um cadastro no presídio Fernando Donasci/UOL Mais
Varais improvisados são colocados ao lado da quadra de esportes do presídio. Ao entrar, cada preso recebe um kit com camiseta, calção, blusa, jaqueta, bota, roupa íntima, desodorante, barbeador, sabonete, cobertor, travesseiro e lençol Fernando Donasci/UOL Mais
Os detentos improvisam cortinas nos beliches para terem privacidade nas celas e alojamentos do presídio Fernando Donasci/UOL Mais
Ao lado da cama de um dos detentos encontra-se o livro do bispo fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo. Cultos religiosos acontecem semanalmente dentro do presídio Fernando Donasci/UOL Mais
Presos trabalham em linha de montagem de equipamentos eletrônicos dentro do presídio. Eles recebem um salário mínimo (R$ 678) por mês. O dinheiro é dividido entre o interno, sua família, outros detentos e o Estado. Para cada três dias trabalhados, o interno consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Presos trabalham em linha de montagem de equipamentos eletrônicos dentro do presídio. Eles recebem um salário mínimo (R$ 678) por mês. O dinheiro é dividido entre o interno, sua família, outros presos e o Estado. Para cada três dias trabalhados, o interno consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Detento se exercita em academia improvisada ao lado da quadra de esportes do presídio Fernando Donasci/UOL Mais
Logo na entrada do bloco de alojamentos foi colocada uma caixa de sugestões para que os internos possam se comunicar com a direção do presídio Fernando Donasci/UOL Mais
Interno pinta quadro na oficina de artes. Segundo os internos, o emblema da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e o símbolo do Corinthians são os mais solicitados. Os trabalhos são vendidos para familiares e outros policiais nos dias de visita. Para cada três dias trabalhados, o preso consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Quadros feitos por detentos na oficina de artes decoram o corredor de um alojamento. Segundo os internos, o emblema da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e o símbolo do Corinthians são os mais solicitados. Os trabalhos são vendidos para familiares e outros policiais nos dias de visita Fernando Donasci/UOL Mais
Quadros recém-pintados por detentos na oficina de artes secam no corredor. Segundo os internos, o emblema da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e o símbolo do Corinthians são os mais solicitados. Os trabalhos são vendidos para familiares e outros policiais nos dias de visita Fernando Donasci/UOL Mais
Retrato da filha de um dos internos aguarda finalização na oficina de artes Fernando Donasci/UOL Mais
Os presos só podem usar o telefone com a autorização do diretor. A cabine usada por eles para telefonar fica sem o aparelho, que só é instalado na hora da ligação Fernando Donasci/UOL Mais
O auditório é usado em palestras e cultos religiosos, além de servir como local de ensaio para a banda militar formada pelos internos Fernando Donasci/UOL Mais
A lousa do auditório foi preenchida com palavras como 'dor', 'revolta', solidão e 'suicídio' Fernando Donasci/UOL Mais
O presídio conta com um apiário que fica sob a responsabilidade dos presos, e o mel produzido é comercializado na porta da penitenciária. Para cada três dias trabalhados, o interno consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Um parque de diversões foi construído no pátio para receber os filhos dos presos durante os dias de visita Fernando Donasci/UOL Mais
Detento aguarda abertura de portão que dá acesso à quadra de esportes, no bloco de celas do presídio. Assim que chegam à penitenciária, os presos ficam quatro meses num regime restrito, com direito a duas horas de banho de sol por dia. O bom comportamento possibilita a transferência para os alojamentos, onde atividades laborterápicas são incentivadas Fernando Donasci/UOL Mais
O presídio tem uma pequena ala feminina, que abriga duas internas. Segundo o diretor, até pouco tempo atrás não havia mulheres policiais presas Fernando Donasci/UOL Mais
Outra opção de trabalho para os presos do Romão Gomes é a criação de calopsitas e periquitos, comercializados na porta da prisão. Para cada três dias trabalhados, o interno consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
O presídio conta com uma granja com chocadeiras e viveiro de pintinhos. As aves e seus ovos são comercializados na porta da prisão. Para cada três dias trabalhados, o interno consegue redução de um dia em sua pena Fernando Donasci/UOL Mais
Ao lado da granja um lago artificial ocasionalmente serve de viveiro para patos Fernando Donasci/UOL Mais
Detento caminha na área da horta. As verduras, legumes e frutas plantados no local são comercializados para o público externo Fernando Donasci/UOL Mais
Preso trabalha no pomar ao lado da horta do presídio. As verduras, legumes e frutas plantados no local são comercializados para o público externo Fernando Donasci/UOL Mais
Um espantalho foi colocado pelos presos na horta Fernando Donasci/UOL Mais
Detento caminha para dentro da estufa onde são produzidas as mudas de hortaliças que posteriormente serão plantadas na horta. As verduras e legumes são comercializados para o público externo Fernando Donasci/UOL Mais
As mudas de hortaliças são produzidas dentro de uma estufa, e posteriormente plantadas na horta. As verduras e legumes são comercializados para o público externo Fernando Donasci/UOL Mais
No barracão ao lado da horta os presos armaram uma rede e uma pequena cozinha Fernando Donasci/UOL Mais
No presídio os detentos também criam bodes e cabras Fernando Donasci/UOL Mais
No presídio os detentos também criam coelhos, vendidos para o público como animais de estimação ou para o consumo de sua carne Fernando Donasci/UOL Mais
Um lava-rápido operado pelos detentos foi montado no pátio externo. Qualquer um pode deixar o carro para ser limpo no local, basta fazer um cadastro na recepção do presídio Fernando Donasci/UOL Mais

Conheça a cadeia que recebe os policiais militares que são presos em São Paulo

Últimos álbuns de Notícias

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos