PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Alves


Denúncia contra Eduardo Bolsonaro ao Conselho de Ética não vai dar em nada

Eduardo Bolsonaro no programa Terça Livre - Reprodução
Eduardo Bolsonaro no programa Terça Livre Imagem: Reprodução
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

30/05/2020 04h00

Depois de dizer que uma ruptura institucional no Brasil não era mais questão de "se", mas de "quando" aconteceria, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) entrou na mira do Supremo Tribunal Federal, com o pedido do ministro Celso de Mello ao procurador-geral da República para investigar o fato. Essa parece ser a única possibilidade de punição ao parlamentar. No Conselho de Ética da Câmara dos Deputados é improvável que a denúncia feita por PT, PSOL, PDT e Rede Sustentabilidade tenha resultado concreto.

Primeiro, porque boa parte dos 21 integrantes pertence ao Centrão, grupo que está fechado com o presidente Jair Bolsonaro. A hegemonia dos centristas até poderia ser revertida com a pressão popular. Alguns deputados ouvidos pela coluna lembram que em 2016 a cassação do então poderoso Eduardo Cunha parecia improvável, mas a grande mobilização acabou levando a esse resultado.

Aí entra o segundo motivo para apostar que a denúncia contra Eduardo Bolsonaro não vai dar em nada. Hoje esse tipo de pressão seria impossível simplesmente porque o conselho não não se reúne há muito tempo. Não se sabe a causa da suspensão dos trabalhos, já que poderiam ser feitos remotamente, como as sessões de plenário.

O único que pode explicar a paralisação do Conselho de Ética em uma época em que políticos têm falado e feito tantas barbaridades é o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Chico Alves