Topo

Constança Rezende


Advogado de Bolsonaro diz a deputados que novo partido sai até fevereiro

Constança Rezende

É colunista do UOL em Brasília. Passou pelas redações do Estadão no Rio de Janeiro, O DIA e Jornal do Commercio.

Colunista do UOL

12/11/2019 18h21

O advogado do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Admar Gonzaga, garantiu a deputados que o novo partido "Aliança pelo Brasil" deverá ficar pronto até fevereiro do ano que vem. A informação foi passada por deputados que participaram da reunião com o presidente, no Palácio do Planalto, na tarde desta terça-feira (11). No encontro, Bolsonaro anunciou sua saída do PSL e a criação do novo partido.

Segundo esses deputados, Gonzaga disse que o processo para a criação do partido deverá levar menos tempo do que a fundação do PSD (Partido Social Democrático), de Gilberto Kassab, do qual ele participou do processo e que, de acordo com ele, durou 193 dias.

Gonzaga, que é ex-ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), também afirmou que parlamentares que optassem pela migração junto com o presidente não perderiam seus mandatos. Porém, não garantiu a transferência do fundo partidário. Os recursos devem permanecer com o PSL.

Deputados que defendem a saída do PSL disseram que isso não seria um problema para o grupo, já que não tiveram recursos do fundo nas eleições passadas e fizeram campanha pelas redes e por "vaquinha".

"O presidente nos disse que, finalmente, teremos um partido representando os nossos ideias e não o de parlamentares eleitos pelo efeito da onda. Ele afirmou que o casamento com o PSL não deu certo e bola para frente", contou um deputado.

Cerca de 30 parlamentares participaram da reunião. O grupo precisa colher ao menos 500 mil assinaturas e entregá-las ao TSE até março de 2020 para que o partido possa lançar candidatos próprios nas eleições municipais do ano que vem. O partido deverá realizar um convenção, no próximo dia 21, para formalizar a decisão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.