Topo

Coluna

Jamil Chade


Brasil é responsável por proteção da embaixada da Venezuela, alerta ONU

Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

13/11/2019 11h37


A ONU alerta que todos os países têm a responsabilidade de proteger embaixadas estrangeiras em seus territórios. O alerta foi emitido depois que a coluna interrogou oficialmente a entidade diante da invasão da embaixada venezuelana em Brasília.

Como resposta, a ONU declarou: "todos os estados membros são responsáveis pela segurança das embaixadas e dos funcionários diplomáticos em seus países, em linha com a Convenção de Viena". Em outras palavras, o Brasil precisa proteger os diplomatas do governo de Nicolas Maduro.

O alerta foi emitido enquanto diplomatas nacionais e mesmo da região demonstraram preocupação sobre o impacto que a ação poderia ter se não for condenada pelo governo de Jair Bolsonaro. "Podemos estar vendo o início de uma crise muito maior", alertou um diplomata andino, na condição de anonimato.

O tratado de 1961 estipulou as regras de missões e embaixadas diplomáticas, colocando responsabilidades para governos. Dois embaixadores brasileiros no exterior consultados pela coluna indicaram que temem que o Brasil possa ser denunciado por conta de violações neste sentido.

Procurada, a diplomacia venezuelana em Caracas alertou que a ação em Brasília seria um "abuso" e que "não ficaria impune".

Nesta semana, outros incidentes contra diplomatas foram registrados em La Paz. A embaixada da Venezuela na Bolívia foi alvo de um ataque nos últimos dias, inclusive com granadas. As embaixadas do México, país que acolheu Morales, e de Cuba também foram alvos de ameaças.

Os ataques levaram a cúpula da ONU a se manifestar já no fim de semana. O porta-voz da entidade, Stéphane Dujarric, emitiu um comunicado solicitando que as autoridades sob controle do governo boliviano "garantam a segurança de todos os cidadãos, funcionários governamentais e cidadãos estrangeiros" em território boliviano.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Jamil Chade