PUBLICIDADE
Topo

Josmar Jozino

Justiça concede prisão domiciliar a socialite acusada por morte de namorado

Anne Cipriano Frigo e Vitor Lúcio Jacinto - Divulgação
Anne Cipriano Frigo e Vitor Lúcio Jacinto Imagem: Divulgação
Josmar Jozino

Sobre o Autor - Josmar Jozino é jornalista desde 1985. Autor de quatro livros, sendo três sobre crime organizado entre eles, "Cobras e Lagartos", obra referência sobre a facção criminosa PCC que recebeu menção honrosa do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog em 2005

Colunista do UOL

22/11/2021 17h22

A Justiça de São Paulo concedeu prisão domiciliar para a socialite Anne Cipriano Frigo, 46, acusada de ser a mandante do assassinato do namorado Vitor Lúcio Jacinto, 42, em junho deste ano.

Anne estava internada sob escolta no Hospital Israelita Albert Einstein, após ter passado mal no presídio. No dia 5 de outubro, ela foi submetida a cirurgia para a retirada de tumor no cérebro.

A decisão foi tomada por desembargadores da 3ª Câmara de Direito Criminal. Anne terá de manter o endereço atualizado e comunicar à Justiça caso seja necessário sair de casa em situação emergencial para tratamento de saúde.

A socialite estava recolhida na Penitenciária Feminina de Sant'Anna, no Carandiru, zona norte da capital, desde 18 de agosto de 2021. Relatórios médicos aos quais a coluna teve acesso mostram que ela passou por consultas nos dias 30 de agosto e 8, 16 e 17 de setembro.

Em 1º de outubro, ela retornou à consulta com o psiquiatra na penitenciária. O médico constatou que Anne estava com instabilidade de marcha (dificuldades para caminhar), alterações de reflexo e de coordenação motora com queda frequente.

A prisioneira foi encaminhada para passar por neurologista no Hospital do Mandaqui, na zona norte. No dia seguinte foi transferida para o Hospital Albert Einstein e em 5 de outubro os médicos a operaram.

Segundo advogados de Anne, o tumor cerebral é de grau 4, o mais agressivo; ela sofreu paralisia do lado esquerdo do corpo; tem cefaleia de difícil controle; é submetida à fisioterapia e medicação específica; e precisa passar por quimioterapia e radioterapia.

Investigações do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) apontam que Anne descobriu que Vitor a traía com outras mulheres e ofereceu R$ 200 mil para o corretor de imóveis Carlos Alex Ribeiro de Souza, 39, matá-lo.

Sobre o crime

O crime aconteceu em 16 de junho, quando o corpo da vítima foi desovado em uma mata na Rua Açucena-do- Campo, Riviera Paulista, zona sul. De acordo com o DHPP, Carlos confessou o crime.

O DHPP apurou ainda que Anne estava inconformada com as traições e com as idas de Vitor a casas de swing e a cassinos. Ela e Carlos se encontraram em uma padaria em Moema, zona sul, em junho e a empresária ofereceu o dinheiro para o corretor matar o namorado dela.

Relatórios de investigação policial apontam que três dias após a morte do namorado, a socialite comemorou o aniversário dela em um restaurante nos Jardins. Os policiais descobriram que Anne e Carlos usaram o telefone celular de Vitor, enviando mensagens para simular que ele estava vivo.

Em depoimento no DHPP, Anne negou todas as acusações. Ela contou que conheceu Vitor em um site de relacionamentos em 2017 e que três meses depois se encontraram em um café em Santana. Passados oito meses foram morar juntos.

A socialite afirmou que contraiu HPV e como só mantinha relações sexuais com Vitor, o questionou e ele confessou a traição. Ela admitiu que ofereceu R$ 200 mil a Carlos, mas não para ele matar Vitor e sim para investigar o ex-marido dela.