PUBLICIDADE
Topo

Leonardo Sakamoto

Convidada por Doria, Dilma recusa ida a SP, mas aceita ser vacinada no RS

Lucas Lima/UOL
Imagem: Lucas Lima/UOL
Leonardo Sakamoto

É jornalista e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Cobriu conflitos armados em países como Timor Leste e Angola e violações aos direitos humanos em todos os estados brasileiros. Professor de Jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016), e professor de Jornalismo na ECA-USP (2000-2002). Diretor da ONG Repórter Brasil, foi conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão (2014-2020) e comissário da Liechtenstein Initiative - Comissão Global do Setor Financeiro contra a Escravidão Moderna e o Tráfico de Seres Humanos (2018-2019). É autor de "Pequenos Contos Para Começar o Dia" (2012), "O que Aprendi Sendo Xingado na Internet" (2016), ?Escravidão Contemporânea? (2020), entre outros livros.

Colunista do UOL

18/12/2020 13h27

João Doria (PSDB) convidou todos os ex-presidentes para receberem a Coronavac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, no início do cronograma de imunização em São Paulo, previsto para 25 de janeiro - aniversário da capital paulista. A informação foi confirmada pela coluna com a assessoria do governador.

José Sarney (MDB), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB) devem participar, segundo informação divulgada no site da revista Veja.

Dilma Rousseff (PT) disse à coluna que recebeu o convite através do prefeito de Araraquara, Edinho Silva, de seu partido. Contudo, como mora em Porto Alegre, não pretende ir a São Paulo tomar a vacina.

"Mas se o governador João Doria enviar a vacina, ela tomará a dose com imensa satisfação", afirmou, através de sua assessoria.

Não foi possível confirmar a participação dos ex-presidentes Fernando Collor (Pros) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A intenção de Doria é estimular que a população participe através do exemplo de lideranças. De acordo com o Plano Estadual de Imunização, a campanha de vacinação deve começar no Estado com profissionais da área da Saúde e populações indígenas e quilombolas, que são mais vulneráveis, recebendo a primeira dose.

Cidadãos da idade de Sarney, 90, Fernando Henrique, 89, Temer, 80, devem ser vacinados a partir de 8 de fevereiro - quando a aplicação começa em pessoas com 75 anos ou mais. Lula tem 75 anos.

Já a previsão para vacinação de pessoas da idade de Dilma, 73, é a partir de 15 de fevereiro. Sarney, Dilma e Collor, que tem 71 anos, moram em outros estados.

Os democratas Bill Clinton e Barack Obama e o republicano George W. Bush, os três últimos ex-presidentes dos Estados Unidos, devem tomar a vacina publicamente para servir de exemplo à população. A fundação Jimmy Carter soltou uma nota afirmando que o ex-presidente democrata, hoje com 96 anos, apoia e incentiva a vacinação imediata contra a covid-19, mas não respondeu se dará publicidade à sua imunização.

Em dezembro de 2013, os ex-presidentes Sarney, Collor, Fernando Henrique e Lula viajaram à Africa Sul para o funeral de Nelson Mandela a convite da então presidente Dilma Rousseff.