PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Record esconde vitória da esquerda na eleição presidencial da Colômbia

Gustavo Petro, eleito presidente da Colômbia, ao lado da vice-presidente eleita, Francia Márquez - EPA
Gustavo Petro, eleito presidente da Colômbia, ao lado da vice-presidente eleita, Francia Márquez Imagem: EPA
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

20/06/2022 21h34

Terceira maior economia da América do Sul, a Colômbia foi notícia em boa parte do mundo neste final de semana por causa do resultado inédito e histórico das eleições presidenciais. Pela primeira vez, um candidato de esquerda venceu e será presidente do país. A vitória de Gustavo Petro foi festejada no Brasil por políticos do campo da esquerda e vista como uma ameaça por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

A vitória do economista colombiano foi assunto de destaque em quase todas as emissoras brasileiras. Apenas a Record escondeu o assunto numa nota de 20 segundos, em que não mencionou o fato de o presidente eleito ser de esquerda e, muito menos, que a sua eleição tem um caráter histórico. O telejornal da emissora noticiou com mais destaque, com o dobro do tempo, o anúncio de que o primeiro-ministro de Israel vai convocar novas eleições no país.

Globo e Band noticiaram a vitória de Gustavo Petro com repórteres em Bogotá. O SBT contou com uma profissional em Washington. O "Jornal Nacional" destacou já na abertura: "O presidente eleito da Colômbia, Gustavo Petro, anuncia um grande acordo entre direita e esquerda para poder governar. O atual presidente, Iván Duque, diz que a transição de poder vai ser pacífica, eficaz e harmônica". O telejornal exibiu uma reportagem de três minutos sobre a eleição.

O "Jornal da Band" também destacou o assunto na "escalada" das principais notícias do dia: "Uma eleição histórica para a Colômbia. Gustavo Petro é o primeiro presidente de esquerda eleito no país." A reportagem de quase dois minutos destacou o "pedido de união do país" feito pelo presidente eleito e lembrou de sua trajetória política, incluindo a participação no grupo armado M-19.

Assim como o JN, o Jornal da Band também destacou o perfil da vice-presidente eleita, Francia Márquez, ex-empregada e primeira mulher negra a ocupar o cargo.

O SBT, igualmente, não escondeu que Gustavo Petro é o primeiro político de esquerda a vencer uma eleição presidencial na Colômbia. A reportagem do telejornal teve mais de dois minutos de duração. O SBT chamou o candidato derrotado, o empresário Rodolfo Hernández, de "populista de direita" e destacou o seu discurso reconhecendo a derrota, pacificamente.