PUBLICIDADE
Topo

Rubens Valente

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vídeo mostra momento de tiroteio de garimpeiros em aldeia indígena ianomâmi

Rubens Valente

Rubens Valente é repórter desde 1989 e há 10 anos atua em Brasília. Nasceu no Paraná e trabalhou em órgãos da imprensa de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde se formou em jornalismo na UFMS (Universidade Federal do MS). É autor de "Operação banqueiro" (Geração Editorial, 2014) e "Os fuzis e as flechas - história de sangue e resistência indígena na ditadura militar" (Companhia das Letras, 2017). Recebeu 17 prêmios nacionais e internacionais, incluindo o Prêmio Esso de Reportagem, dois Prêmios de Excelência Jornalística da SIP (Sociedade Interamericana de Jornalismo) e dois Grandes Prêmios Folha.

Colunista do UOL

10/05/2021 21h09Atualizada em 10/05/2021 21h09

Um vídeo obtido pelas organizações indígenas ianomâmis mostra o momento de um tiroteio em uma aldeia na região do Palimiú, na Terra Indígena Yanomami, em Roraima. Segundo os indígenas, os tiros partiram de um grupo de garimpeiros que passava pelo rio Uraricoera.

A gravação mostra a embarcação, um tipo de lancha pequena apelidada como "voadeira", passando em frente a uma aldeia com várias mulheres e crianças e, em seguida, sons de tiros. As mulheres e crianças correm, em meio aos estampidos. Segundo as organizações indígenas dos ianomâmis e um relatório da Funai (Fundação Nacional do Índio), houve cinco feridos, dos quais um indígena e quatro garimpeiros.

Em 27 de abril, os indígenas haviam apreendido uma embarcação com garimpeiros e combustível na mesma região. Em retaliação, um outro grupo de garimpeiros também fez disparos contra os indígenas, segundo denúncia formulada pela coordenação da Hutukara Associação Yanomami.

O garimpo é ilegal em toda a Terra Indígena Yanomami. As lideranças indígenas já pediram várias vezes ao governo Bolsonaro a retirada imediata de mais de 20 mil garimpeiros.