Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos

É mentira que Temer e FHC usem Abin para ameaçar Sergio Moro

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/06/2018 04h00

Uma corrente que circula por aplicativos de mensagem afirma que o presidente Michel Temer (MDB-SP) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) usariam a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) para ameaçar o juiz Sergio Moro.

As ameaças, segundo a mensagem, seriam retaliação ao fato de que Moro estaria investigando ambos os políticos e estaria prestes a decretar a prisão deles.

“A corda está apertando o pescoço e eles sabem que Moro já tem um mandado de prisão pronto contra eles”, afirma o texto. “É isso mesmo, estão utilizando a inteligência da Presidência da República, para investigar e ameaçar o Moro."

FALSO: Temer e FHC não usam a Abin para ameaçar Sergio Moro

A corrente, que mistura três figuras públicas distintas e um órgão governamental, é mentirosa.

Segundo a Abin, as informações da mensagem “são, obviamente, apenas boatos sem nenhuma ligação com a realidade”. A Abin afirma que é um órgão “de Estado e não de governo”.

“Cabe à Abin atuar em defesa da sociedade e do Estado brasileiros, não se admitindo ligações com questões político-partidárias”, afirma a agência em resposta ao UOL. “Desta forma, é completamente descabida a possibilidade de a agência ser utilizada para 'espionar' autoridades a mando de um presidente ou de um ex-presidente.”

Fernando Henrique também desmentiu a corrente por meio de sua assessoria de imprensa, que definiu a história como “loucura”.

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância em Curitiba, não tem o costume de comentar sobre notícias falsas a seu respeito. Mas não é a primeira vez que o magistrado é alvo de corrente sobre ameaças à sua pessoa. No começo de maio, o UOL mostrou ser falsa uma corrente sobre um suposto pastor que dizia que Moro e sua família corriam risco de morte. À época, o juiz disse, por meio de sua assessoria, que as informações no áudio "não procediam".

Nesta segunda-feira (4), a assessoria de imprensa da Justiça Federal do Paraná também desmentiu um novo boato de que Moro teria descoberto uma doença grave. "A suposta notícia acerca de problemas de saúde do juiz federal Sergio Moro e divulgada na internet não é verdadeira", disse laconicamente a mensagem.

O Palácio do Planalto não respondeu ao UOL até a publicação deste texto. No entanto, por ter foro privilegiado e exercer o cargo de presidente da República, não caberia a um juiz federal emitir um mandado de prisão contra Temer em uma suposta infração político-administrativa. O Poder Legislativo é que julgaria o caso por meio de votação nominal no Senado.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero receber

Mais UOL Confere