PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Governo de SP decide remanejar água para evitar racionamento

Do UOL, em São Paulo

06/03/2014 13h29

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (6) que haverá um remanejamento de água dos sistemas Alto Tietê e Guarapiranga para áreas normalmente abastecidas pelo Sistema Cantareira, cujo nível está com uma baixa recorde. A transferência valerá a partir de segunda-feira (10) e impedirá, por enquanto, um racionamento de água na Grande São Paulo.

Os reservatórios da Grande SP

A medida foi tomada depois de uma determinação da ANA (Agência Nacional de Águas) para que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) reduza a captação de água do Sistema Cantareira de 30 m³/segundo para 27,9 m³/segundo. Esse corte também começa a ser feito na próxima segunda.

O nível do Cantareira, que abastece cerca de 9 milhões de pessoas na Grande São Paulo, caiu hoje para 16%. O Alto Tietê está com 38,3% de sua capacidade, enquanto o nível do Guarapiranga chega a 69%.

"Não é uma seca geral. Ela está muito localizada no Sistema Cantareira. Como os sistemas têm uma parte deles integrada, você diminui o Cantareira e aumenta o abastecimento pelos outros sistemas", afirmou Alckmin.

Colabore

  • Dicas de como economizar água

  • Calcule o quanto você gasta no banho

  • Você sabe economizar água?

A Sabesp vem colocando em prática uma série de medidas a fim de evitar um racionamento de água. Em 1º de fevereiro, anunciou um programa de bonificação para os clientes que economizarem seu gasto médio mensal em 20%. O desconto nas tarifas, de 30%, será mantido até agosto ou até a normalização dos níveis dos reservatórios.

A concessionária também anunciou o investimento de R$ 80 milhões na compra de bombas e em obras de infraestrutura para a exploração de uma reserva adicional de 400 milhões de metros cúbicos abaixo dos níveis operacionais de captação do sistema, o volume morto.

Chuvas

A previsão do tempo aponta chuvas significativas na cabeceira do Sistema Cantareira, no sul de Minas Gerais, durante esta semana, informou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). As chuvas podem amenizar a situação crítica dos reservatórios.

De acordo com o Inmet, as precipitações, que devem ser superiores a 50 milímetros, começam hoje (6) e persistem até sábado (11), nas cidades de Camanducaia, Extrema, Sapucaí-Mirim, Joanópolis e Nazaré Paulista. Os rios que nascem nessa região fornecem água para 9 milhões de pessoas da Grande São Paulo e para as bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

O comitê anticrise montado para gerenciar a situação da Cantareira emitiu um relatório, no último dia 18, com simulações sobre o que pode ocorrer com o nível dos reservatórios nos próximos meses, se não forem adotadas medidas emergenciais. Na pior das hipóteses, o volume útil se esgotaria em agosto deste ano, e a Grande São Paulo passaria a ser abastecida pelo volume morto.

Apesar da gravidade do problema, o Departamento de Águas e Energia Elétrica divulgou nota dizendo que o comitê, formado também por representantes da Agência Nacional de Águas e da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), nunca orientou a implantação do racionamento.

“O Grupo Técnico de Assessoramento para gestão do Sistema Cantareira, apesar de sua relevância, tem apenas caráter consultivo e sequer recomendou um dia especifico para eventual redução do volume de captação de água pela Sabesp no Sistema Cantareira”, diz o comunicado. (Com Agência Brasil)

Cotidiano