PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

"Ele é ateu e eu, evangélica": conheça casais diferentes, mas apaixonados

Do UOL, em São Paulo

12/06/2015 08h58

A gaúcha Adriana Santiago, 43, secretária em uma empresa de engenharia sanitária e ambiental, começou sua história de amor com o bancário Rogério, 40, em uma viagem escolar, há 19 anos. Foram longas 36 horas de ônibus, de Florianópolis, onde moravam, até Goiânia. Tempo suficiente para se conhecerem bem e decidirem engatar um namoro, que resultaria em casamento e dois filhos.

Uma história natural se não fosse por um detalhe inusitado: ela é evangélica e ele é ateu. “Quando soube que ele era ateu levei um baque, pensei: ‘isso vai totalmente contra os meus princípios’, achei que não daria certo”, diz Adriana. “E ele é ateu convicto mesmo, lê muito sobre o assunto, nunca falou na vida ‘ai meu deus’, nadinha”, completa.

Rogério, que além de ateu, é filiado ao PSTU e tem como livro de cabeceira “O Capital”, do filósofo alemão Karl Marx, também estranhou, em um primeiro momento, as preferências religiosas daquela que viria a ser sua mulher e mãe de seus filhos. O amor e o respeito, porém, ressalta Adriana, falariam mais alto, e seriam, desde então, os alicerces do relacionamento do casal.

E os filhos? Seguiriam os passos de quem? “O mais novo vai à igreja comigo e o mais velho aceita mais os ideais do pai”, afirma. 

Adriana e Rogério são diferentes, mas apaixonados. Eles enviaram este relato após o UOL pedir aos internautas que contassem suas histórias de amor.  Por e-mail, pelo Facebook ou pelo WhatsApp, foram dezenas de casos recebidos.

Você manda a notícia

  • Divulgação

    Pelo Whatsapp

    Envie o seu relato, fotos e/ou vídeos para (11) 97500-1925

Idade não é documento

Casais com grandes diferenças de idade já foram mais comuns em sociedades de outros tempos, ainda que, atualmente, não seja caso raro de se ver. Os relatos que chegaram à redação do UOL com estes perfis, no entanto, são, no mínimo, inusitados.

Suzi Pirinell, 39, conheceu Marcos, empresário de 57 anos, em 2002, por meio de uma amiga em comum da filha dele. “Dois anos depois já estávamos morando juntos”, diz a também empresária, que trabalha com o marido em uma empresa de portões automáticos, em Mauá (SP).

Já Marcelo Theodoro, 45, casado com Ariane, 26, tem uma história ainda mais insólita. Sua mulher é sua ex-cunhada. “Depois que ela se separou, nos aproximamos e aconteceu o inesperado: nos apaixonamos, nos casamos e hoje temos 3 lindos filhos”, diz ele.

Respeito acima de tudo

Nós nos amamos e, o mais importante, respeitamos o espaço um do outro. Isso faz com que nos entendamos mais e, automaticamente, isso atrai mais sorrisos tanto da minha parte quanto da dele”. Para Luísa de Almeida, 20, este é o segredo para a felicidade de seu relacionamento com Henrique, 24, cujos gostos em nada parecem com os dela. “Somos um errado que deu certo”, brinca ela, uma “friorenta” que adora doce que namora um “calorento” que nem de chocolate gosta.

A publicitária Lorena Kimberly, 20, corintiana fanática, militante do movimento estudantil e fã de pop rock, namora o técnico de telecomunicações Vinícius, também de 20 anos, são-paulino que odeia política e adora heavy metal. Além de todas estas diferenças, trabalha de dia, enquanto ele trabalha de noite. Nada que atrapalhe o relacionamento dos dois.

“Discordo da ideia de que, quanto mais parecidos, melhor. O que ele não tem de fé eu tenho de esperança e o que eu não tenho de calma ele tem de paciência. Ele me completa! Em tudo! E é por ser tão diferente de mim que eu o amo tanto”, garante.

Cotidiano