PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PM diz a estilista roubado que "roupas estranhas" são fáceis de encontrar

"Amiguinho, e quem disse que quero só roupas? Quero: saúde, educação, segurança e cultura" diz cartaz - Carlos Eduardo Cherem/UOL
"Amiguinho, e quem disse que quero só roupas? Quero: saúde, educação, segurança e cultura" diz cartaz Imagem: Carlos Eduardo Cherem/UOL

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

08/10/2015 13h48Atualizada em 08/10/2015 15h24

Após ouvir de um policial militar, durante a elaboração de um Boletim de Ocorrência de um roubo à sua loja em Belo Horizonte, de que “como as roupas são bem estranhas, não vai ser difícil de reencontrá-las”, o estilista Ronaldo Fraga desabafou.

Nesta quinta-feira (8), as vitrines e a entrada da loja do estilista na rua Fernandes Tourinho, na Savassi, área nobre da capital mineira, amanheceu coberta por tapumes e com um cartaz protestando contra a insegurança no país.

No cartaz, Fraga repete a frase que ouviu do policial militar e sua resposta: “Amiguinho, e quem disse que quero só roupas? Quero: saúde, educação, segurança e cultura”.

“E ver os bandidos públicos do municipal, estadual e federal, catando pulgas em ratos na cadeia.”

ronaldo fraga - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
O estilista Ronaldo Fraga
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Desde sexta-feira (2) quando a loja do estilista foi arrombada, dezenas de peças roubadas e a vitrine quebrada, Fraga reclama da insegurança no país, por meio de vídeos e textos postados em redes sociais.

“Fiquei profundamente incomodado quando o policial me cobrou uma grade de proteção na vitrine. Se eu tiver que colocar uma grade, eu fecho a loja”, afirmou Fraga em vídeo.

40 peças roubadas, estimadas em R$ 60 mil

“Quebraram o vidro com algo forte, entraram se arrastando para o alarme não tocar e levaram araras inteiras, roubaram as roupas mais caras”, disse numa postagem em rede social.

A ação dos criminosos foi registrada pelo circuito de segurança da loja. Para entrarem no local, os criminosos, que tinham os rostos cobertos por lenços, quebraram a vitrine, que lhes possibilitou acesso à loja.

 

Entre a tristeza e a revolta, mando meu melhor abraço ao amigo-irmão Ronaldo Fraga e a querida Ivana Neves.

 

 

 

 

 

A.

Posted by Afonso Borges on Sexta, 2 de outubro de 2015

Foram levadas cerca de 40 peças do estilista, estimada por Fraga em R$ 60 mil. Segundo ele, foi a terceira vez que a loja foi arrombada.

“Não foi a primeira vez. E no ritmo que as coisas estão, provavelmente não será a última. Fico triste com a violência, com o prejuízo. Mas arrasado mesmo estou é com o momento em que o Brasil está”, afirmou noutra postagem.

“Nau sem rumo envolta num mar de lama em que quem padece é quem trabalha e produz”.

O major PM Cintra, do 1º Batalhão da PM, responsável pelo policiamento da região da loja do estilista, disse que não iria comentar o caso.

Cotidiano