Operação prende suspeitos de usar blocos de granito para exportar cocaína do Brasil

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/PF

    A droga estava escondida em tubos dentro dos blocos de granito

    A droga estava escondida em tubos dentro dos blocos de granito

A Polícia Federal e a PNC (Polícia Nacional Colombiana) divulgaram nesta sexta-feira (5) que prenderam quatro pessoas suspeitas de participarem de uma organização criminosa que exportava cocaína do Brasil para a Europa escondida dentro de blocos de granito.

Dos quatro detidos, um foi preso no Brasil e três na Colômbia. Ao todo, 13 pessoas foram indiciadas, segundo a PF. A ação conjunta das polícias dos dois países foi batizada de operação Cullinan, o nome dado ao maior diamante já encontrado no mundo.

De acordo com as investigações, um grupo de estrangeiros que se estabeleceu nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, ambas em Minas Gerais, e lá montou uma empresa fictícia para exportar granito para Europa, escondendo cocaína nos blocos, "com alto grau de dissimulação".

A investigação foi iniciada fevereiro de 2016 e ao longo de todo o ano foram registradas as movimentações do grupo, a montagem da estrutura logística, além de encontros com fornecedores e compradores.

Divulgação/PF
Em apreensão feita na Bélgica, a polícia encontrou 1.020 kg de cocaína

Em novembro do ano passado, os agentes conseguiram apreender sete blocos de granito, contendo 1.020 quilos da droga, por meio da cooperação internacional entre as polícias brasileiras e belga.

A carga partiu dos portos de Vitória (ES) e do Rio de Janeiro (RJ), acondicionada em contêineres, de onde seguiria com destino final a Espanha, passando pela Antuérpia, na Bélgica. A apreensão foi feita na aduana.

Após a apreensão, os suspeitos alugaram um galpão na região metropolitana de Vitória para abrigar todos os equipamentos e estrutura logística do negócio e deixaram o Brasil, segundo a PF.

A Justiça Federal decretou a prisão preventiva dos acusados, a pedido da PF. Depois disso, os nomes dos indiciados foram colocados na lista de procurados internacionais da Interpol.

Divulgação/PF
Com um dos acusados foram encontrados US$ 60 mil e R$ 34 mil, em espécie

A Polícia Federal solicitou à PNC apoio para localizar e prender os suspeitos que estavam na Colômbia. No último dia 28, a polícia colombiana conseguiu três dos investigados. A PF já solicitou a extradição deles ao Brasil.

No mesmo dia, a PF conseguiu prender na cidade de São Paulo o único suspeito que se encontrava no Brasil. Em sua residência, foram  encontrados documentos, smartphones e mídias eletrônicas, um automóvel, além de US$ 60 mil e R$ 34 mil, em espécie. Ele foi levado para Belo Horizonte.

A PF, PNC e polícias de outros países dizem que mantêm as investigações para localizar os demais indiciados. Todos são acusados pelo crime de tráfico internacional de drogas e de organização criminosa, cujas penas somadas podem chegar a 30 anos de reclusão. Os nomes dos suspeitos e dos presos não foram revelados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos