PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Comandante de lancha que naufragou e deixou 18 mortos na Bahia depõe hoje à polícia

Lancha que transportava passageiros da Ilha de Itaparica para Salvador naufragou na quinta-feira (24) - Fernando Vivas/Folhapress
Lancha que transportava passageiros da Ilha de Itaparica para Salvador naufragou na quinta-feira (24) Imagem: Fernando Vivas/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

25/08/2017 13h30

A Polícia Civil da Bahia começa a tomar na tarde desta sexta-feira (25) depoimentos na investigação do naufrágio de ontem na Baía de Todos os Santos, entre Salvador e a Ilha de Itaparica. De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, serão ouvidos o comandante da embarcação, os tripulantes, parentes das vítimas e o dono da empresa CL Transporte Marítimo, responsável pela lancha Cavalo Marinho I.

Até o momento, a Marinha e o governo estadual trabalham com o número de 18 mortos no acidente, registrado ontem minutos depois de a lancha deixar, às 6h30, a região do Mar Grande, em Vera Cruz, na região metropolitana de Salvador. Conforme a Capitania dos Portos, que afirma ter sido acionada às 7h45, não havia aviso de mau tempo no momento do acidente.

Segundo a SSP, os depoimentos serão prestados ao delegado Ricardo Amorim Santos, que responde pela 24ª Delegacia Territorial, em Vera Cruz, onde o inquérito foi instaurado.

Também hoje, as autoridades de segurança e a Capitania dos Portos estenderam a área de busca por eventuais desaparecidos do naufrágio.

"Não acreditamos que haja, ainda, pessoas desaparecidas, pois muitas foram resgatadas de outras formas, que não pelas nossas equipes, como, por exemplo, pelos bombeiros, e há vítimas que foram nadando até a praia, já que o naufrágio foi próximo da orla. É possível que nem todas tenham passado ainda pela triagem. Portanto, não temos o número total de pessoas que chegou com segurança à praia", afirmou o comandante Flávio Almeida, da Capitania dos Portos na Bahia.

De acordo com Almeida, também não havia, até por volta das 14h, registro por parte de familiares de pessoas que teriam embarcado na lancha e seguissem desaparecidas. As buscas serão realizadas até o fim do dia, "enquanto houver luz", para, só então, uma avaliação das equipes de salvamento definir se elas serão definitivamente encerradas ou não.

A travessia de lancha, em função dos trabalhos de resgate, segue suspensa entre Salvador e Itaparica.

Segundo a Astramab (Associação de Transportadores Marítimos da Bahia), entidade que reúne donos de embarcações, a lancha tinha capacidade para 160 pessoas e estaria transportando 129, além de quatro tripulantes. Pelo menos 89 pessoas foram resgatadas com vida, mas ainda não há a comprovação de que as vítimas que faltam ser contabilizadas estejam, de fato, desaparecidas.

Com a extensão da área, as ações acontecem desde o começo da manhã até a Costa do Dendê, nas proximidades do município de Valença. Atuam nas buscas equipes dos bombeiros especializadas em socorro marítimo, além do Graer (Grupamentos Aéreo) da Polícia Militar.

A travessia de lancha, em função das buscas por vítimas, segue suspensa entre Salvador e Itaparica.

Vítimas são identificadas

Também hoje, a SSP informou que todas os mortos do naufrágio, até agora, já foram identificados. São eles:

1. Antônio de Jesus Souza, 67 anos
2. Thiago Henrique de Melo Barreto, 35 anos
3. Ivanilde Gomes da Silva, 70 anos
4. Tais Medeiros Ramos de Sales, 32 anos
5. Lucas Medeiros Leão, 2 anos
6. Darlan Queiroz Reis Julião, 2 anos
7. Lais Pita Trindade, 20 anos
8. Dulciana dos Santos Queiroz, 38 anos
9. Davi Gabriel Monteiro Coutinho, 2 anos
10. Dulcelina Machado dos Santos, 59 anos
11. Sandra Lima dos Santos, 40 anos
12. Lindinalva Moreira da Silva, 50
13. Rosemeire Novais Carneiro de Costa, 49 anos
14. Alessandra Bonfim dos Santos, 36 anos
15. Isnaildes de Oliveira Lima, 48 anos
16. Rita dos Santos, 54 anos
17. Edileuza reis a Conceição, 53 anos
18. Edilene Oliveira dos Santos, 43 anos

Dois dias atrás, naufrágio foi no Pará

Na noite da última terça (22), outra embarcação afundou com pelo menos 70 passageiros no Pará. O acidente aconteceu com o barco "Capitão Ribeiro", no rio Xingu, durante a travessia entre as cidades de Porto de Moz e Senador José Porfírio. Hoje, as informações foram atualizadas, e o número de mortos, que era de dez, subiu para 21.

Assim como no naufrágio de hoje na Bahia, entre as vítimas já identificadas no Pará, também havia uma criança de um ano.

De acordo o proprietário da embarcação, 48 pessoas, entre passageiros e tripulantes, estavam a bordo.

Cotidiano