Topo

Cantora sertaneja denuncia marido por agressão no Espírito Santo

Justiça concedeu medida preventiva que impede Scopel de se aproximar de Taiana - Reprodução/Facebook
Justiça concedeu medida preventiva que impede Scopel de se aproximar de Taiana Imagem: Reprodução/Facebook

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL

06/06/2018 16h15

A cantora Taiana França, 25, denunciou o marido, Adriano Scopel, 39, por agressão em Vitória (ES). De acordo com o advogado da sertaneja, o homem deu socos na cabeça da ex-companheira durante uma festa no final de maio. O empresário nega o crime.

De acordo com Flávio Fabiano, advogado de Taiana, tudo corria bem na festa da filha adolescente de Scopel, no dia 26. A cantora, casada com o empresário há menos de um ano, então começou a ser comparada a outros convidados da festa, por ser mais nova que os presentes.

Leia mais:

“Ele sempre foi muito ciumento e não deve ter gostado”, afirma o advogado em entrevista ao UOL. “Ele chegou a subir no quarto, rasgar as roupas dela. Depois desceu, alcoolizado, deu um tapa no rosto dela, bateu na cabeça e a puxou pelo cabelo. Chegou até a tentar jogar um vaso nela.”

A ação só parou, ainda segundo o advogado, quando dois convidados jovens intervieram e seguraram o empresário, que também tentou agredi-los. A Polícia Militar foi chamada, mas ninguém foi preso.

“Ela me procurou na segunda [28] e imediatamente fizemos o exame de corpo de delito e entramos com uma ação restritiva”, conta Fabiano.

Dois dias depois, a Justiça do Espírito Santo concedeu uma medida preventiva de urgência que impede Scopel de se aproximar a menos de 300 metros de Taiana ou de entrar em contato com ela por qualquer meio. O empresário também deveria sair de casa, mas ela decidiu ir morar com os pais.

Segundo Fabiano, esta não foi a primeira vez que o empresário agrediu a ex-mulher. Segundo ele, desde o começo do relacionamento, há cerca de três anos e meio, 

O UOL não conseguiu entrar em contato com o representante da defesa para ouvir a versão de Scopel. Ao jornal “A Gazeta”, do Espírito Santo, o advogado Marco Antonio Barreto negou a existência das agressões. A Polícia Civil disse à reportagem que o caso “está sendo investigado”.

Mais Cotidiano