PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Vale diz ter disponibilizado acomodação a mais de 800 pessoas em Brumadinho

Do UOL, em São Paulo

26/01/2019 20h40Atualizada em 26/01/2019 22h20

A mineradora Vale, dona da barragem que se rompeu em Brumadinho (MG) nesta sexta (25), disse neste sábado (26) ter disponibilizado acomodações para mais de 800 pessoas até o momento, além de 40 ambulâncias e um helicóptero para apoio ao resgate das vítimas da tragédia.

Em comunicado divulgado à imprensa, a empresa informou ainda ter providenciado 3 caminhões pipa, 500 kits de higiene pessoal, 200 kits de lanche e 200 quilos de ração animal para atender à população da região atingida pela lama.

"Até este domingo, a Vale terá disponibilizado mais de 1 milhão de litros de água potável para atender à população da região", diz o texto. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, 34 pessoas morreram por conta da queda da barragem -número que supera as vítimas fatais do desastre ambiental de Mariana, em 2015, quando 19 pessoas morreram.

Após a divulgação dos bombeiros, o governo de Minas Gerais chegou a informar que 40 pessoas haviam morrido. Cerca de uma hora depois, no entanto, o governo voltou a falar em 34 mortos.

No comunicado, a Vale diz ainda ter recebido, até o início da tarde deste sábado, quase 700 ligações nos canais telefônicos disponibilizados pela empresa.

Os números são: 0800 285 7000 (Alô Ferrovia - prioritário) e 0800 821 5000 (Ouvidoria da Vale).

A Vale afirma ainda incentivar que a população utilize esses canais para informar sobre desaparecidos ou para solicitar qualquer tipo de assistência emergencial, como abrigo, água e medicamentos.

Eventuais doações voluntárias de alimentos não perecíveis, água e materiais de limpeza devem ser encaminhadas para os seguintes locais: 18º Batalhão da PM de Contagem, 2 º Batalhão de Bombeiros de Contagem, 66º Batalhão da PM de Betim e 5º Batalhão da PM da Gameleira, em Belo Horizonte.

No comunicado, a Vale volta a lamentar o acidente e diz estar empenhando todos os esforços no socorro e apoio aos atingidos. "A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais", diz o texto.

Cotidiano