PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Vice-prefeito destrói radar móvel em Sumaré (SP) e diz que "se exaltou"

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

22/02/2019 12h33Atualizada em 22/02/2019 20h00

Quem acompanha as redes sociais do vice-prefeito de Sumaré (120 km de São Paulo), Henrique Stein (Solidariedade), deparou-se com um vídeo inusitado ontem. O político usou seu perfil oficial no Facebook para transmitir uma filmagem quebrando e chutando um radar móvel que estava instalado na avenida Fued Assad Maluf, no Jardim Bela Vista. 

"Na minha cidade, não!", gritou Stein no vídeo, chutando o equipamento. Segundo ele relata na filmagem, a ação foi autorizada pelo prefeito da cidade, Luiz Dalben (PPS). Ele, então, se vira a uma pessoa que não aparece no vídeo e emenda: "Secretário, estou determinando a pedido do prefeito que retire tudo [sic] essas porcaria móvel da cidade".

Em seguida, o vice-prefeito carrega o radar e diz: "Isso aqui, ó, retira dentro do meu gabinete, quero ver quem vai retirar. Secretário, tira tudo da cidade". 

Procurado pela reportagem, Stein afirmou, através de nota oficial, que fez a ação registrada em vídeo após ouvir "inúmeras reclamações" de moradores. 

"Minha revolta foi causada devido à utilização do aparelho de forma imoral pela terceirizada, prejudicando a população e, por isso, acabei me exaltando e tomando a atitude registrada no vídeo. O aparelho só poderia ser instalado quando houvesse justificativa e a necessidade do mesmo, quando apresenta alto índice de acidentes, por exemplo, o que não é o caso da via onde o radar móvel estava, mesmo sendo previsto o local no contrato", diz o comunicado.

Ele lembra que o contrato para a instalação dos radares prevê o radar móvel. "Porém, não é porque está previsto que deverá ser utilizado pela terceirizada sem a autorização prévia do Executivo. Da mesma forma, não é porque está previsto o armamento dos colaboradores da Secretaria de Segurança que as armas de fogo deverão ser utilizadas sem necessidade", argumenta. 

"O principal objetivo, que era retirar os equipamentos das vias da cidade, foi cumprido, não prejudicando ainda mais os munícipes", conclui.

Citado no vídeo como "mandante" da ação, o prefeito Luiz Dalben confirmou que deu a ordem para que Stein retirasse os aparelhos.

"Havia uma determinação anterior do prefeito Luiz Dalben, para que o vice fosse até os locais onde os aparelhos estavam instalados e retirasse os radares móveis das vias", diz o comunicado. "Entretanto, o vice explicou ao prefeito que, ao ouvir as reclamações dos munícipes e a falta de transparência na colocação do aparelho - o que vai contra os princípios desta administração - exaltou-se e acabou tomando a atitude registrada na gravação", prossegue o texto.

A Prefeitura de Sumaré afirma, também, que todos os radares móveis foram retirados da cidade. De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana e Rural, José Marin, "como não houve autorização prévia do Executivo [para instalação], os radares móveis foram retirados das vias e multas foram devidamente anuladas".

Autenticidade de vídeo é questionada

Internautas questionaram a veracidade da ação porque, de acordo com eles, não se trata de um radar. "Queria só saber onde fico a bateria do radar móvel? Pelo amor em vai enganar outro", disse um deles na página oficial do vice-prefeito. "Que farsa kkk", disse outra. 

A Prefeitura de Sumaré não respondeu aos questionamentos do UOL sobre se o equipamento é, de fato, um radar. A prefeitura também não divulgou o custo do item quebrado pelo vice-prefeito e tampouco qual é a empresa terceirizada que fazia a gestão desses radares.

Cotidiano