Topo

Jovem é suspeita de matar irmão de 5 anos; polícia apura possível ritual

Marcelo Reding/Divulgação/Polícia Civil
Caso foi registrado na delegacia de São Roque Imagem: Marcelo Reding/Divulgação/Polícia Civil

Luan Santos

Colaboração para o UOL, no Rio

2019-04-05T11:37:01

05/04/2019 11h37

Uma jovem de 18 anos foi presa ontem suspeita de torturar e matar o próprio irmão de 5 anos em São Roque, interior de São Paulo. Apenas os dois irmãos estavam na casa, que fica no bairro Gabriel Piza, na hora do crime, e a polícia investiga a possibilidade de o crime ter sido parte de possível ritual de magia negra.

De acordo com informações da Polícia Civil, Karina Aparecida da Silva Roque teria atraído o menino M.A.S.R. dizendo que iria brincar dentro de um dos quartos da casa. Ela então colocou um travesseiro no rosto do irmão e o matou asfixiado.

A Polícia Civil investiga a possibilidade de o crime ter sido um possível "ritual satânico", pois o corpo da vítima foi encontrado com os olhos perfurados, o pescoço e um dos punhos cortados, os pés queimados e sem o pênis. Segundo a polícia, a irmã confessou ter engolido o órgão genital do garoto após o crime. A polícia investiga se a jovem teria ligação com algum grupo de magia negra. O UOL procurou a defesa de Karina, mas não obteve resposta até a publicação da reportagem.

Ao chegar em casa, a mãe dos irmãos foi impedida de entrar pela filha. Ela então precisou chamar o cunhado, que arrombou a porta. Ao entrar, viram o menino já morto, com sinais de tortura pelo corpo. O homem tentou conter a jovem, mas foi atacado com uma pedra. A garota mordeu, inclusive, o cachorro da família, segundo a polícia.

A suspeita foi presa em flagrante e autuada por homicídio qualificado. Após prestar depoimento na delegacia, ela foi encaminhada à Penitenciária Feminina de Votorantim. A adolescente participou de audiência de custódia nesta manhã e foi decidido que Karina continuará presa.

Em uma perícia realizada na casa onde ocorreu o crime, a Policia Civil localizou e apreendeu um celular destruído e queimado. Além disso, um canivete, um cartão de memória e uma porção de maconha também foram apreendidos pelos policiais.

"Vamos investigar se o aparelho celular encontrado pertence à autora do crime e se ela tentou destruir algum arquivo ou informação importante, que possa também incriminar eventuais outros participantes", disse o policial Anderson Góes, chefe de escrivão da delegacia onde o caso foi registrado ao UOL.

O corpo do irmão foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba. O velório está previsto para a tarde de hoje, em São Roque.

Mais Cotidiano