Topo

Homem é preso acusado de tentar assaltar delegados em SP com arma "fake"

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

16/04/2019 17h26

Um homem de 28 anos, que não teve sua identidade revelada, foi preso ontem à noite em flagrante após ser acusado de tentar assaltar, com uma arma falsa, o carro em que estavam os presidentes da ADPESP (Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo) e do SINDPESP (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo).

Segundo o presidente da ADPESP, Gustavo Mesquita, ele e a presidente do SINDPESP, Raquel Kobashi, saíam de carro de um evento na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) do qual também participou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), na avenida Paulista, zona central de São Paulo.

Mesquita conta que estava sentado no banco do passageiro, ao lado de seu motorista, e Kobashi no banco traseiro, quando, ao parar em um farol na esquina das ruas Abílio Soares e Cubatão, no Paraíso, o suposto assaltante bateu com o revólver no vidro e pediu os celulares dos passageiros.

O delegado conta que reagiu, aproveitando uma distração do suspeito, e abriu a porta do carro com um chute, derrubando-o no chão.

Apesar disso, o delegado afirma que sua reação não serve de exemplo. "Eu sou policial, tenho treinamento e direito a ter porte de arma de fogo. A conduta é diferente. Não pode servir de exemplo para o restante da população. A melhor maneira de reagir é exigindo do governo do estado investimento em segurança pública", afirma.

O suspeito se levantou e tentou fugir, mas foi pego logo depois por policiais militares que faziam ronda pelas redondezas do local. Os PMs constataram que a arma se tratava de um simulacro, isto é, uma réplica perfeita de uma arma original, mas que não efetua disparos.

Mesquita afirma que o suspeito tem longa ficha criminal, com mais de cinco condenações por roubo e uma fuga da prisão.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), em nota, afirma que o homrm foi encaminhado ao 78º DP e indiciado por roubo a interior de veículo.

O delegado do caso não foi encontrado pela reportagem para falar sobre qual versão foi dada pelo suspeito.

Cotidiano