Topo

'Tomava pílula e achei que era azia': mulher descobre gravidez no 8º mês

Casal brinca comparando barrigas no espelho, após Lana descobrir que estava grávida de oito meses - Arquivo pessoal
Casal brinca comparando barrigas no espelho, após Lana descobrir que estava grávida de oito meses Imagem: Arquivo pessoal

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/05/2019 20h04Atualizada em 05/05/2019 08h12

Lana Wigand e Arthur Wogram, ambos de 27 anos, descobriram que seriam pais quando a gravidez já havia completado oito meses -- 19 dias antes de o bebê nascer, no fim de abril, em Curitiba. A criança nasceu duas semanas antes do previsto, mas forte e saudável, com 47 centímetros e 3,1 quilos.

"Eu não desconfiei absolutamente de nada. Tive alguns sintomas, mas fui tratando isoladamente, como prisão de ventre e azia. Eu atrelava isso a uma alimentação desregulada"
Lana Wigand, 27

"A gente planejava ter filhos por meio da adoção. Falávamos em entrar com o processo aos 30 anos", diz Lana sobre os planos dela e do namorado. Eles estão juntos há um ano e meio.Lana relata que tomava anticoncepcional, o que fez com que ela não cogitasse a gravidez.

O casal pratica atividades físicas, e Lana havia engordado apenas 4 quilos nos últimos meses. Com dores de estômago e acreditando que tinha algum problema intestinal, foi à gastroenterologista. "Ela me passou laxantes e remédios para cólica intestinal", diz Lana, rindo.

No oitavo mês, descobriu que o desconforto era o pequeno Gabriel se mexendo.

O alerta foi dado quando Lana percebeu que a menstruação estava diferente e voltou a procurar uma especialista. A médica pediu um exame de imagem.

"A médica fez uma cara meio desconfiada e assustada e falou a frase: 'Mulher, você está muito grávida!' Entrei em estado de choque, sem acreditar. Eu vi a carinha dele no vídeo [ultrassom] e não acreditava que aquilo estava acontecendo comigo", lembra.

Ginecologista: 'anticoncepcionais falham'

Gabriel nasceu forte e saudável - apesar de a mãe não saber, 19 dias antes do nascimento, que ele chegaria - Arquivo pessoal
Gabriel nasceu forte e saudável - apesar de a mãe não saber, 19 dias antes do nascimento, que ele chegaria
Imagem: Arquivo pessoal
A ginecologista e obstetra Flávia Martins Vieira Bueno explica que Lana é magra e praticava exercícios, o que deixava sua musculatura do abdômen mais firme.

Com isso, o útero cresceu, não expandiu a barriga, mas pressionou órgãos internos - o que ocasionava as dores abdominais.

"Nenhum método anticoncepcional é 100% seguro. Todos, inclusive laqueadura e vasectomia, têm índices de falha, uns mais e outros menos. Ela engravidou tomando a pílula e não desconfiou porque continuou com o fluxo de sangue escasso [nos intervalos da pílula, similar à menstruação]", conta a médica.

Segundo a profissional, casos como esse não são comuns, mas não chegam a ser raros.

Chá de bebê -- com o bebê

Com o pouco tempo de preparação para a chegada de Gabriel, os pais tiveram que alterar a ordem tradicional dos preparativos. O chá de bebê, por exemplo, aconteceu seis dias depois de o filho ter nascido.

"Alguns colegas venderam cookies, brigadeiros, mudas de plantas e o dono de um bar vendeu bebida e reverteu o valor para a gente", diz Arthur, que é musicista.

Ele também organizou um show com a sua banda e reverteu todo o dinheiro arrecadado para os gastos com o filho inesperado. "Hoje o Gabs [Gabriel] é o nosso ponto de partida. É a possibilidade de um futuro tão maravilhoso quanto o que a gente planejava sem ele", diz a mãe.

Veja também: cadelinha vira 'terapeuta' de crianças com câncer

UOL Notícias

Mais Cotidiano