Topo

Flordelis está muito abalada, dizem advogados de filhos presos da deputada

José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
24.jun.2019 - Flordelis chega para depor na delegacia sobre morte do marido Imagem: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

2019-06-24T16:58:08

2019-06-24T18:03:25

24/06/2019 16h58Atualizada em 24/06/2019 18h03

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) está "muito debilitada e abalada". A informação foi dada pela advogada do filho da parlamentar que confessou ter matado o pastor evangélico Anderson do Carmo, 42, morto há oito dias. Flordelis está prestando depoimento na tarde de hoje na Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo como testemunha do caso.

"Ela [Flordelis] chegou muito debilitada, muito abalada. Ela perdeu o marido dela, e o filho dela está sendo acusado pela morte do esposo dela. Era um casal com muita força política. Ela não sabe o que tem por trás disso. Acredito que esse depoimento deve estar sendo adiado e retomado, ela deve estar passando mal. Ela está muito abalada", informou Alexandra Menezes, que defende Flávio dos Santos Rodrigues, 38.

Flávio é filho biológico de Flordelis e enteado de Anderson. Ele está preso na Delegacia de Homicídios após ter confessado ter dado seis tiros no pastor, segundo a polícia. Lucas dos Santos, 18, filho adotivo do casal, também está preso. Ele é apontado pela polícia como suspeito de ter comprado a arma calibre 9mm usada no assassinato. O revólver foi achado em cima de um armário no quarto usado por Flávio na casa de Flordelis e Anderson.

A deputada chegou por volta das 12h30 e já está depondo há mais de cinco horas na Divisão de Homicídios como testemunha do homicídio do marido.

"A deputada abriu mão de sua prerrogativa e está vindo de livre e espontânea vontade para prestar alguns esclarecimentos na delegacia", complementou Maurício Mayr, outro advogado da equipe de Flávio.

O UOL procurou Fabiano Leitão Migueis, que responde pela defesa de Flordelis e está acompanhando o depoimento da deputada, mas ele não retornou as ligações e mensagens.

Os advogados que representam os filhos disseram que ainda não tiveram acesso ao inquérito e que não comentariam as confissões dos seus clientes.

Entretanto, eles disseram que vão solicitar a transferência para um presídio estadual porque seus clientes estão em "condição insalubre" na delegacia.

"Vamos ter acesso ao inquérito para montar uma estratégia de defesa para eles. Aqui é uma delegacia, eles estão presos há mais de uma semana, a prisão deles é provisória e vamos exigir a transferência hoje porque estão em condição de higiene insalubre", disse Flávio Crelier, advogado de Lucas.

"Eles estão em uma situação muito complicada. Conversamos com eles. Eles estão consternados e abalados, não têm informação de nada do que está acontecendo", prosseguiu Crelier.

Câmeras de segurança mostram a noite do assassinato do pastor

UOL Notícias

Investigação do caso

Cerca de 25 pessoas foram convocadas para prestar depoimento hoje, segundo a assessoria da deputada. Entre elas, estão alguns dos filhos, amigos próximos que frequentavam a casa e pessoas que trabalhavam lá.

Na semana passada, Flordelis havia dito que queria justiça pela morte do marido "seja quem for [o assassino]". Depois disso, ela se manifestou pelas redes sociais, dizendo ser alvo de "calúnias" e "notícias confusas a cada minuto". A deputada também disse que acredita na inocência dos filhos presos. "Eu não quero acreditar e o meu coração de mãe me dá direito à esperança", explicou.

Na última sexta-feira, a delegada Bárbara Lomba, responsável pela investigação, disse que acredita na participação de outras pessoas no crime, além da dupla detida. "O que nós já levantamos nas investigações nos indica que a ação criminosa toda não termina no Flávio e no Lucas", disse a delegada. "Porque eles não conseguiram esclarecer de forma completa, que convença realmente, que o crime foi praticado só por eles", resumiu.

A policial afirmou que todos os que estavam na casa estão sendo investigados, mas evitou adiantar nomes. Na quinta-feira, a TV Globo informou que um filho disse em depoimento que suspeita da participação de Flordelis e de três filhas no crime. A polícia não confirma a informação.

Imagens mostram que um casal, ainda não identificado, teria usado o mesmo carro que, 13 minutos depois, foi utilizado por Flávio para chegar à casa do casal. No intervalo de uma hora, as imagens mostram também a chegada de Lucas ao local, mas ele saiu minutos depois e não teria presenciado o crime, exibem que Flávio saiu correndo da casa e a saída de um carro que levava Anderson para o hospital após ser baleado.

A polícia ainda busca esclarecer a motivação do crime e também procura os celulares de Flávio e de Anderson que estão desaparecidos.

Mais Cotidiano