Topo

Água-viva gigante impressiona banhistas no litoral de São Paulo

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-06-26T19:08:58

26/06/2019 19h08

Um surfista presenciou a aparição inusitada de uma água-viva gigante, anteontem, na praia de Pernambuco, no Guarujá, litoral de São Paulo. Rodrigo Nattan Guimarães, 29, praticava stand-up paddle, com sua prancha, próximo à areia com amigos quando avistou a espécie e começou a filmar.

Ele conta que estava remando e chegou a passar por cima dela. "Eu já filmei outras águas-vivas, mas tão grande assim eu nunca tinha visto", disse Guimarães, que postou as imagens em uma rede social, agradecendo pelo privilégio que teve. É possível ver o animal rodeado de peixes.

Guimarães diz ser apaixonado pelo mar e que está acostumado com animais marinhos de outras espécies na região. "Eu não fiquei com medo e, como estava em cima da prancha, me senti seguro, mas vi que ela estava nadando bem forte e imaginei o estrago que ela podia fazer numa pessoa", diz.

O surfista conta que já teve uma perna 'abraçada' por uma água-viva, anos atrás, exatamente onde tem tatuado um desenho do animal. "Minha perna ficou cheia de cortes, ela agarrou na minha tatuagem, e é uma dor insuportável."

Águas-vivas podem liberar veneno

Reprodução/Rodrigo Nattan Souza Guimarães
Imagem: Reprodução/Rodrigo Nattan Souza Guimarães
A espécie avistada pelo surfista é oriunda da Austrália e tem o nome científico de Phyllorhiza punctata, também conhecida como medusa. Apesar de grande, ela pode crescer ainda mais, chegando a medir até 50 cm de diâmetro, de acordo com o especialista André Morandini, vice-diretor do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo.

Segundo Morandini, não é comum a aparição da espécie na região litorânea de São Paulo. "Ela tem oscilações em nossa costa, às vezes aparecendo em grandes quantidades mesclando com períodos de ausência quase que total. É curioso que esta espécie não apresenta um padrão de sazonalidade bem marcado aqui no Brasil."

Ele ainda ressalta que, de maneira geral, não existe grande perigo ao se aproximar da espécie, mas que é preciso tomar cuidado porque os tentáculos podem liberar veneno, e algumas pessoas podem ter uma forte alergia.

"Quando entramos em contato com a superfície do corpo desses animais, principalmente os tentáculos, podemos sentir uma sensação desagradável, algumas vezes sentida lembrando uma queimadura", diz o especialista.

Mais Cotidiano