PUBLICIDADE
Topo

DF: menino de 5 anos cai do 3º andar de prédio; mãe é presa por abandono

Prédio na região do Paranoá, no Distrito Federal, de onde uma criança de 5 anos caiu - Divulgação/Polícia Civil
Prédio na região do Paranoá, no Distrito Federal, de onde uma criança de 5 anos caiu Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

07/10/2019 19h07

Um menino de cinco anos caiu do terceiro andar de um prédio, no último sábado (5), na região do Paranoá, no Distrito Federal. A criança teve apenas escoriações e sobreviveu à queda. Segundo a Polícia Civil, a criança estava sozinha em casa. A mãe, de 35 anos, foi presa em flagrante por abandono de incapaz, mas pagou fiança de R$ 1 mil foi liberada.

A 6ª Delegacia de Polícia investiga o caso. Segundo a delegada Jane Klébia, a mulher saiu de casa para comprar cigarros. Porém, ficou ausente entre 23h e 5h. O filho mais velho, de 16 anos, ficou com a criança em casa. Mas, após o menino dormir, o adolescente decidiu sair.

"A criança ficou completamente sozinha. Ao acordar, por volta de 4h30, deve ter ficado assustado. Subiu no sofá para olhar a janela e acabou despencando. Só sobreviveu por um milagre, porque caiu no gramado", disse a delegada.

Vizinhos do prédio socorreram o menino após ouvirem o barulho da queda. Segundo Thiago Roberto, o menino caiu por volta de 5h. Ele acionou o Corpo de Bombeiros que encaminhou o garoto até o Instituto Hospital de Base. A criança sofreu escoriações, mas não teve fraturas e foi levada consciente para uma unidade de saúde.

"Foi um barulho assustador. Me arrepio só de lembrar. Sou vizinho da família há alguns meses e a mulher nunca tinha deixado a criança sozinha. O que mais fiquei chocado foi que quando ela chegou no prédio, só depois do acidente, ela disse: 'Ué, ele não morreu?'", disse o vizinho.

Pai não é presente, diz delegada

Segundo Jane Klébia, a Polícia Civil acionou o Conselho Tutelar. A criança está com familiares maternos até o fim das investigações.

"A mãe tem três filhos. Os três são de pais diferentes. O genitor do adolescente sumiu. Não é presente, não paga pensão. Isso também vai ser apurado", explicou a delegada.

A mulher vai responder por abandono de incapaz. Caso seja condenada, a detenção é de seis meses a três anos.

Cotidiano