PUBLICIDADE
Topo

Cratera se abre por causa de deslizamento e "engole" carros em Brasília

Cratera se abre e engole veículos em Brasília - Divulgação/Polícia Civil
Cratera se abre e engole veículos em Brasília Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

10/12/2019 19h16Atualizada em 10/12/2019 19h36

Uma cratera se abriu e "engoliu" quatro carros na quadra 709 da Asa Sul, em Brasília, na tarde de hoje. De acordo com Corpo de Bombeiros, não há registro de vítimas.

O deslizamento ocorreu por volta de 15h30, enquanto caía uma forte chuva em Brasília. Segundo os bombeiros, houve o desabamento de um muro de arrimo da obra, onde há uma grande escavação. Tudo pode ter sido causado pelo rompimento de uma tubulação de água pluvial.

O solo atrás do muro, segundo a corporação, ficou encharcado e pesado. A estrutura cedeu, causando o deslizamento de terra e o arrasto dos quatro veículos.

Os quatro carros já tiveram os proprietários identificados e localizados. A Defesa Civil foi acionada e técnicos do órgão estão no local, que já foi isolado.

O prédio, que fica ao lado da obra, foi evacuado. No local, há várias salas médicas. Testemunhas informaram que sentiram um tremor no chão, antes do deslizamento.

Divulgação/Polícia Civil
Imagem: Divulgação/Polícia Civil
"A cena é bastante insegura. A edificação ao lado foi evacuada e permanece interditada. Os veículos próximos serão retirados paulatinamente pelos próprios bombeiros", informou o tenente Walmir Oliveira, do Corpo de Bombeiros.

A obra tem 10 metros de profundidade, e cerca de 25 metros de asfalto foram arrastados pelo deslizamento. Não há previsão para a retirada dos veículos.

A empreiteira responsável pela obra é D&B Construtora e Incorporadora. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) fez uma vistoria no local e disse que a construtora está em situação regular.

O UOL tenta contato com a empresa.

"Felicidade de não estar no carro é maior que o prejuízo"

O servidor público Tiago Carvalho é dono de um dos veículos soterrados. Ele estava com a esposa Larissa Zarzur em uma consulta médica, em uma clínica localizada no prédio que foi evacuado.

Ao UOL, o casal contou que percebeu que algo estava errado quando viram pessoas correndo e comentando sobre o deslizamento.

"Fomos até onde o carro estava estacionamento e já o vimos engolido. O prejuízo financeiro é grande. Mas a felicidade de não estarmos dentro do carro é maior", disse Carvalho.

O professor de inglês Pedro Bueno dá aulas em um prédio que fica em frente à obra. O local foi desocupado pela Defesa Civil.

"Vamos avaliar os prejuízos de ensino. Os alunos tinham prova essa semana. Por ora, as aulas está suspensas até de manhã", disse ele. "Nosso prédio não foi afetado. Não vi o deslizamento, mas os colegas de trabalho sentiram o tremor na escola, e depois vimos a movimentação dos bombeiros."

Cotidiano