PUBLICIDADE
Topo

Médico é esfaqueado por marido de paciente dentro de hospital de SP

Hospital Salvalus, na Mooca - Divulgação
Hospital Salvalus, na Mooca Imagem: Divulgação

Luís Adorno e Marcelo Damato

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL

17/03/2020 14h24Atualizada em 17/03/2020 19h11

Um médico de 29 anos foi esfaqueado na região do tórax, na noite de ontem, pelo marido de uma paciente que estava revoltado pela demora no atendimento, segundo a Polícia Civil. O caso ocorreu em São Paulo e a vítima está internada em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

De acordo com a polícia, o caso aconteceu às 21h50 de ontem, no hospital Salvalus, na região da Mooca. Em depoimento ao delegado João Marcelo Brada Pedrosa, do 8º DP (Distrito Policial), no Brás, a paciente afirmou que costumava ser atendida pelo médico por ter problemas no estômago e tratar no local um tumor na cabeça.

Ela afirmou que na noite de ontem realizou exames e permaneceu aguardando. Devido a demora no atendimento, seu marido, de 45 anos, foi ao consultório ver o que estava acontecendo. Mas, em seguida, viu seu companheiro sair correndo.

A paciente afirmou que soube naquele momento que seu marido tinha agredido a faca o médico. Ela afirmou que não viu o momento da agressão e não sabe o que motivou o ato.

O agressor está foragido e a polícia analisa imagens de câmeras de segurança do hospital para tentar localizá-lo.

O advogado do hospital informou à polícia que possui circuito interno de câmeras de segurança e monitoramento e que possui testemunhas, porque, no momento da agressão, o médico estava com uma enfermeira.

Depois de a assessoria do hospital ter informado no final da manhã que o estado de saúde dele é grave, mas estável, médicos que acompanham o caso afirmam que sua situação piorou. O ferido está sendo mantido com a ajuda de substâncias vasoativas, e há preocupação com sua recuperação.

Substâncias vasoativas são substâncias comumente usadas em UTI e provocam alterações vasculares rápidas em órgão como coração e pulmão. Alguns exemplos são epinefrina (adrenalina) e dopamina.

O hospital Salvatus pertence ao Grupo Notre Dame Intermédica, que é de propriedade da grupo norte-americano Bain Capital, uma das maiores empresas de investimento do mundo.

Segurança pública