PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses
Polícia prende suspeito de atacar trabalhadores em obra com gás de pimenta

Suspeito de intoxicar quatro moradores em hotel na região dos Jardins, em São Paulo - Reprodução/TV Bandeirantes
Suspeito de intoxicar quatro moradores em hotel na região dos Jardins, em São Paulo Imagem: Reprodução/TV Bandeirantes

Do UOL, em São Paulo

10/08/2020 17h25Atualizada em 10/08/2020 21h18

Um homem jogou gás de pimenta por baixo da porta de um apartamento em reforma, em um hotel na região dos Jardins, em São Paulo, na tarde de hoje. Quatro pessoas atingidas pelo produto precisaram de atendimento médico. A Polícia Militar cercou o local e levou o suspeito para o 78º Distrito Policial, no Jardim América, após um período de negociação.

"Foi um tubo de spray de pimenta. Ele usou por baixo [da porta] e atingiu os funcionários. Ele nos entregou o tubo do gás pimenta. Ele já teve problemas com os demais moradores. A situação mais crítica foi hoje. Tocamos a campainha, ele abriu, deixou entrar. Ele negou no início, mas depois confirmou a história. Um perfil de cidadão comum", afirmou o Major Max, da Polícia Militar.

Segundo o médico Washington Canedo, do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), três vítimas foram intoxicadas e uma delas chegou a vomitar sangue, mas todos estão em estado estável e foram encaminhados para o pronto atendimento do Incor (Instituto do Coração).

"Foi intoxicação de múltiplas vítimas. Tivemos três pacientes com queixa respiratória. Foi confirmado pela equipe de Bombeiros e policiais que foi pimenta macerada com algum produto inalante misturado. Os pacientes foram transportados para o PA do Incor, estáveis clinicamente. Um vomitou sangue no local devido à inalação, Mas todos estáveis", afirmou o médico Washington Canedo.

Segundo relatos, o suspeito estaria incomodado com o barulho causado por uma obra realizada em um apartamento vizinho e teria usado a substância química contra as pessoas que trabalham no local. Um pedreiro que estava participando das obras relatou que o indivíduo passou jogando um spray com um liquido, e então muitas pessoas começaram a passar mal e saíram do prédio.

"Eu tava no quinto andar, fazendo um serviço, quando de repente começou a dar um cheiro forte. Moradores e arquitetos começaram a tossir forte, passando mal. Alguém disse que um homem passou com uma espécie de spray jogando um produto, um líquido. Muitas pessoas começaram a passar mal e nós descemos imediatamente do prédio. Os bombeiros não estão deixando sair e entrar porque ninguém sabe do que se trata, que gás é. Estou com a respiração ruim, um gás, uma coisa horrível, sem saber o que é", afirmou, em entrevista ao "Brasil Urgente".

Ainda de acordo com o pedreiro, identificado apenas como Rafael, o ataque foi ocasionado pelo barulho que a obra estaria fazendo, o que acabou incomodando o suspeito.

"Não tinha cheiro nenhum (quando chegamos), eu estava no quinto andar, aí o cara passou e jogou por baixo da porta. A princípio, estão dizendo que se incomodou com barulho. Já tinha reclamado com o prédio. Parece que hoje surtou, não sei. Teve que todo mundo sair às pressas, sem saber o que estava acontecendo", explicou.

O ex-deputado federal Heráclito Fortes (DEM-PI) reside no local e afirmou que a portaria do prédio foi esvaziada e que seria algo isolado, afirmando que não sentiu cheiro algum do produto químico.

"Aconteceu que a portaria foi esvaziada, os telefones não atendiam. Minha mulher ligou no Datena. Foi quando ligamos e ficamos tendo as informações. É uma coisa isolada, uma rixa. Parece que não é a primeira vez. Mas não há nenhum pânico. Nada de grave a não ser o susto. Eu não vi nada, desci do 7º andar com os Bombeiros direto para cá. Não senti cheiro nenhum, nada", disse Heráclito Fortes ao "Brasil Urgente".

Cotidiano