PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

PF faz operação em seis estados para tentar evitar expansão do PCC no RJ

25.ago.2020 - Operação Expurgo da PF no Pará mira facção criminosa - Divulgação/PF
25.ago.2020 - Operação Expurgo da PF no Pará mira facção criminosa Imagem: Divulgação/PF

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

25/08/2020 06h59Atualizada em 25/08/2020 10h24

Uma operação da PF (Polícia Federal) cumpre, na manhã de hoje, 27 mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão, em seis estados diferentes, para tentar evitar a expansão do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Rio de Janeiro.

Do total dos alvos, 13 já estavam presos. Os mandados estão sendo cumpridos no Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

Segundo a PF, a investigação, que teve início em dezembro de 2018, apontou que líderes tinham como objetivo expandir sua atuação no Rio em parceria com outras facções já atuantes no estado.

"As diligências identificaram que os líderes, mesmo já presos, desempenhavam a 'gestão criminosa' de dentro de presídios estaduais, de onde replicavam ordens e tomavam decisões a exemplo dos chamados 'salves' dados pela cúpula da organização", diz a polícia em nota.

Ainda segundo a PF, a investigação indicou que a organização criminosa usava aplicativos de conversa no celular e redes sociais para auxiliar em divisão de tarefas, envio de diretrizes, debates e até no monitoramento de forças policiais.

Os suspeitos, incluindo os que já estavam detidos, conversavam através de perfis sem foto e constantemente trocavam de chip de celular, a fim de mudar a linha telefônica e despistar a polícia, ainda de acordo com a PF.

25.ago.2020 - Operação Expurgo da PF no Pará mira facção criminosa - Divulgação/PF - Divulgação/PF
25.ago.2020 - Operação Expurgo da PF no Pará mira facção criminosa
Imagem: Divulgação/PF

A investigação apontou, também, que os alvos se estruturaram com base hierárquica e disciplinada. Foram estabelecidos pelos próprios suspeitos condutas e protocolos a serem seguidos, além de punições em caso de descumprimento. Na prática, o que acontece no PCC nos estados onde atua.

Os presos serão autuados por integrar organização criminosa e crimes de tráfico de drogas e armas. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Bangu/RJ.

Nove mandados de prisão estão sendo cumpridos em São Paulo. Rio de Janeiro tem sete, seguido por Minas Gerais (cinco), Mato Grosso do Sul (três), Pernambuco (dois) e Pará (um).

Segundo a PF, a operação ganhou o nome de Expurgo "em referência ao movimento da Polícia Federal de desfazer a estrutura da organização criminosa, evitando a sua expansão e domínio no estado do Rio de Janeiro".

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Esse e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Segurança pública