PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Paraguaio desaparecido sobe serra a pé e é achado a 326 km da Praia Grande

Luiz Fernando Lopes Nuñez, de 21 anos, foi apé de Praia Grande a Santo André, mas acabou indo parar em Santa Rita do Passa Quatro - Reprodução
Luiz Fernando Lopes Nuñez, de 21 anos, foi apé de Praia Grande a Santo André, mas acabou indo parar em Santa Rita do Passa Quatro Imagem: Reprodução

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

23/10/2020 15h49

O paraguaio Luiz Fernando Lopes Nuñez, de 21 anos, que estava desaparecido desde o dia 11 de outubro, foi encontrado ontem pela Polícia Civil em um posto de saúde de Santa Rita de Passa Quatro (SP), a 326 km de onde se perdeu, na Praia Grande. O costureiro Antonio Silvero, que registrou o boletim de ocorrência na esperança de encontrar o conhecido, disse hoje ao UOL que está aliviado.

O jovem foi encontrado bem, mas teve ferimentos nos pés, pois disse que caminhou descalço do litoral paulista até Santo André, no Grande ABC — uma distância de 67 km. Depois, ele se confundiu e foi parar em Santa Rita do Passa Quatro porque este é o nome da rua em que estava hospedado, no Jardim Brasil, em São Paulo.

"Graças a Deus deu tudo certo. Ele já foi achado e já está lá na casa dele, onde ele estava hospedado [com familiares que vivem em São Paulo]", disse Antonio Silvero, 35 anos.

A reportagem pediu para Silvero o contato do conterrâneo, mas ele disse que o conhecido ficou bastante tocado com o ocorrido. "Então, não tem como dar o número porque ele está traumatizado. Não quer falar e não quer nem sair em foto com os parentes", revelou o costureiro.

Luiz Fernando só deu entrevista para o programa Balanço Geral, da TV Record, no momento em que seu tio Raul foi buscá-lo na delegacia de Santa Rita de Passa Quatro. Bastante constrangido e emocionado com a situação, o rapaz falou que foi muito ajudado no caminho e que estava confiante, mas que ficava aflito quando pensava que seus pais poderiam ter ficado sabendo e que estariam muito preocupados.

O jovem afirmou ainda que iria para a casa do tio, onde estava hospedado, e, após se recuperar dos ferimentos nos pés, decidirá se ficará no Brasil ou se voltará para Caaguazú, cidade do interior do Paraguai. Já o tio do rapaz disse que vai tentar arrumar os documentos para ele ficar no Brasil e que cuidará do jovem.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo enviou uma nota ao UOL, na qual afirma que, durante as diligências, policiais da 3ª Delegacia de Investigações Sobre Homicídios de Santos encontraram o jovem em um posto de saúde na cidade de Santa Rita de Passa Quatro. "A família foi informada e se dirigiu ao município para buscá-lo", diz a nota.

Bate e volta de 11 dias

Em um domingo, dia 11 de outubro, Luiz se juntou a um grupo de aproximadamente 30 pessoas e foi fazer um "bate e volta" para Praia Grande, no litoral paulista, onde desapareceu.

"Ele estava na água com algumas pessoas do grupo. Eles saíram e nós fomos para o mar, com outras cinco pessoas. Quando voltamos, ele já não estava mais na areia", lembrou Silvero, que conheceu Luiz quando ele chegou ao Brasil, no fim de setembro.

Após o desaparecimento do jovem, que deixou para trás a mochila com o celular, o grupo o procurou pela praia e ficou na cidade até às 22h daquele dia, quando a excursão retornou para São Paulo. Silvero voltou para Praia Grande vários dias seguidos na esperança de encontrar o jovem, mas não conseguiu encontrá-lo por conta própria.

Cotidiano