PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
RJ: Bombeiros pedem, e 289 pacientes são transferidos após fogo em hospital

Prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, com a energia desligada - Tatiana Campbell/UOL
Prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, com a energia desligada Imagem: Tatiana Campbell/UOL

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

27/10/2020 19h16Atualizada em 27/10/2020 21h59

A direção do Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, informou ter sido orientada pelo Corpo de Bombeiros para evacuar toda a unidade de saúde após o incêndio ocorrido hoje. No total, são 289 pacientes, sendo que 143 já foram transferidos. Ainda restam 146 pessoas para deixar o local, inclusive bebês. Toda a energia do hospital será desligada.

Os pacientes vão ser transferidos ao longo da noite e, segundo a direção do hospital, o procedimento pode invadir a madrugada. Ainda de acordo com a direção da unidade, o pedido dos Bombeiros foi feito de forma preventiva, já que existe ligação elétrica por todo o hospital no subsolo, local onde teve o início das chamas.

Os pacientes estão sendo levados para ao menos 10 hospitais do estado. Entre eles, o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na zona norte, o Hospital de Campanha do RioCentro, na zona oeste, e Instituto de Cardiologia, em Laranjeiras, na zona sul. Niterói também está recebendo pacientes, dizem os representantes do Hospital Federal de Bonsucesso

O prédio 1, local onde o fogo se iniciou, mantinha 162 pacientes. No prédio 2, para onde muitos foram transferidos, eram 127.

O incêndio

Pela manhã, um incêndio atingiu o prédio 1 do hospital — são seis edifícios compondo o complexo hospitalar. Ao todo 12 unidades do Corpo de Bombeiros se dirigiram para o local, com auxílio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O fogo foi controlado e não se propagou para outras unidades. Duas pessoas internadas com quadro de covid-19 morreram; uma durante a transferência de um prédio para outro do hospital e a outra faleceu após ter sido transferida do CTI do prédio 1 para o da maternidade. Além delas, mais uma pessoa morreu.

Mais cedo, a corporação divulgou que a unidade de saúde não possui certificado de aprovação.

Cotidiano