PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
PF prende 3 suspeitos de levar cocaína em helicóptero de Perrella em 2013

Helicóptero da família Perrella, interceptado em 2013 com 445 Kg de cocaína; defesa da família fala em "apropriação indébita" - Polícia Federal / Divulgação
Helicóptero da família Perrella, interceptado em 2013 com 445 Kg de cocaína; defesa da família fala em 'apropriação indébita' Imagem: Polícia Federal / Divulgação

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória

04/12/2020 18h32Atualizada em 05/12/2020 07h34

Três suspeitos de integrar uma quadrilha que transportava, em 2013, 445 kg de cocaína em um helicóptero que pertencia à família do ex-senador por Minas Gerais e ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, foram presos hoje, segundo a Polícia Federal.

A aeronave era da empresa Limeira Agropecuária e Participações Ltda. Hoje, no quadro de sócios do helicóptero, consta o nome do filho de Zezé, o ex-deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrella.

Na época do caso, Gustavo alegou que o piloto usou a aeronave sem autorização da família ou da empresa. O advogado da família, Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay), disse que os familiares formalizaram um boletim de ocorrência por apropriação indébita.

Com o fim do inquérito, Kakay reafirmou hoje a inocência da família Perrella no caso. "Ficou comprovado que o senador não tem relação nenhuma com esse fato. Esse foi o maior escândalo de apropriação indébita no país e o Perrella foi a vítima dessa história", disse ao UOL.

Operação "Hélice"

Três mandados de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão foram cumpridos hoje, pela PF, em São Paulo, Paraná e Paraíba. A operação denominada "Hélice" teve o objetivo de combater o tráfico internacional de drogas. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Vitória (ES).

Foram apreendidos celulares, que ajudaram nas investigações. Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, com aumento de pena em função da transnacionalidade do delito, cujas penas somadas podem suplantar os 25 anos de reclusão.

A operação de hoje é desmembramento do inquérito relativo à prisão em flagrante ocorrida em novembro de 2013, no estado capixaba, que resultou na apreensão de uma aeronave do Paraguai, que era usada para transportar entorpecentes do Paraguai até o Espírito Santo.

Após as investigações, os policiais conseguiram identificar o grupo suspeito pela logística e financiamento da ação criminosa, concluindo o inquérito investigativo.

As prisões em 2013

No dia 23 de novembro de 2013, a Polícia Federal deteve quatro suspeitos em flagrante, com quase 450 Kg de cocaína. As prisões aconteceram em uma fazenda, no distrito de Ibicaba, em Afonso Cláudio, região Serrana do Espírito Santo. Na manhã do caso, o helicóptero havia decolado de São Paulo.

Dentro do helicóptero estavam o piloto, que era funcionário da agropecuária, e mais três pessoas cujas identidades não foram reveladas pela PF. De acordo com as informações da polícia, o condutor da aeronave recebeu R$ 60 mil pelo transporte.

Cotidiano