PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Jovem é vítima de trote e tem rim anunciado em cartazes no litoral de SP

Jovem é vítima de pegadinha e tem órgão anunciado em Santos (SP) - Reprodução
Jovem é vítima de pegadinha e tem órgão anunciado em Santos (SP) Imagem: Reprodução

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

21/01/2021 15h46

"Eu estava em casa quando recebi a ligação de uma mulher perguntando se eu estava vendendo o meu rim e, se o motivo de eu estar fazendo isso fosse problemas financeiros, que ela iria me ajudar", relata Pedro Henrique Zaccaria Rodrigues.

Foi assim que o estudante de ciências da computação, de 19 anos, morador de Santos, no litoral de São Paulo, descobriu que havia sido vítima de uma "brincadeira" e teve seu telefone publicado em um anúncio sobre a venda do órgão.

O cartaz com os dizeres "vendo um rim. Jovem saudável, 19 anos, atlético, tipo sanguíneo O+. Tratar com Pedro no seguinte número. Negocia-se também o fígado", juntamente com o número telefônico de Pedro, foi colado em pelo menos três postes em bairros distintos da cidade da baixada santista.

O jovem relata que descobriu o trote no último dia 7 e que de lá para cá já recebeu, pelo menos, sete ligações e vinte mensagens em aplicativos de conversa de pessoas que supostamente estariam interessadas nos órgãos. Para tentar esclarecer a situação, o estudante fez um post em suas redes sociais.

"Eu percebi que algumas pessoas ligaram por curiosidade. Já tiveram duas que pareciam realmente estar interessadas e uma delas até chegou a perguntar o valor. Vendo que o trote estava tomando uma proporção bem grande, eu resolvi usar as redes para explicar que tudo era uma brincadeira de mau gosto que fizeram comigo", explica o estudante.

Pedro afirma que não sabe quem fez a "brincadeira", mas acredita que tenha sido alguma pessoa próxima, já que todos os dados e o perfil físico anunciados correspondem aos de Pedro.

"A única coisa que a pessoa errou foi o meu tipo sanguíneo que não é O+ e sim O-. Acabei levando esse trote na brincadeira, mas quem fez isso agiu errado. Não se faz isso com ninguém, até porque é um assunto sério e tem gente precisando de doação de órgãos e, de certa forma, acaba ferindo essas pessoas também", acrescenta Pedro.

O jovem conta que apesar dos transtornos não registrou boletim de ocorrência sobre o caso.

Cotidiano