PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

SP: Com "coração dilacerado", comunidade troca bolo do Bixiga por silêncio

O Bolo do Bixiga foi substituído por um minuto de silêncio neste aniversário de São Paulo; na foto, Solang Taverna (de camiseta rosa), e seu pai, Walter, um dos responsáveis por iniciar a tradição do bolo - Arquivo Pessoal
O Bolo do Bixiga foi substituído por um minuto de silêncio neste aniversário de São Paulo; na foto, Solang Taverna (de camiseta rosa), e seu pai, Walter, um dos responsáveis por iniciar a tradição do bolo Imagem: Arquivo Pessoal

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

25/01/2021 13h22

Tradição nas festas de aniversário da cidade de São Paulo, o bolo do Bixiga teve que ficar de lado em 2021. Neste ano, a pandemia do novo coronavírus fez com que, em vez de um bolo de 467 metros, a cidade ganhasse um vídeo com 467 depoimentos.

Normalmente, a comunidade do bairro, que fica na região central, produz um bolo com a extensão, em metros, da idade da capital paulista.

Hoje, organizadores do Bolo do Bixiga e membros da comunidade se reuniram na rua Rui Barbosa. No local, onde o bolo costuma ser montado, eles fizeram um minuto de silêncio em lembrança às pessoas que sofreram e sofrem com a pandemia. Também mostravam faixas com dizeres como "Saúde, São Paulo".

"É um momento que nos entristece porque somos um bairro que tem uma comunidade muito festiva. Porém, nós temos que compreender a situação atual", diz Solang Taverna, uma das organizadoras do Bolo do Bixiga, filha de Walter Taverna, responsável pelo evento durante muitos anos.

"Não tem como fazer um evento com aglomeração", complementa a proprietária da cantina Conchetta e vice-presidente do Sodepro (Sociedade em Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista).

"Coração dilacerado"

Solang lembra que a comunidade perdeu "muitos amigos e parceiros". "Quando nós tivemos essa iniciativa de fazer essa homenagem agora, foi porque o nosso coração está dilacerado por tudo isso que nós estamos passando, pelo que as pessoas estão passando."

Ela lembra que o bolo também tem como objetivo unir e refletir a comunidade. A pandemia dificultou a vida de pessoas que vivem em cortiços no bairro aos proprietários das tradicionais cantinas da região.

Os meus vizinhos, cantineiros, nós estamos completamente transtornados com tudo isso."

"Da minha parte, por exemplo, nosso movimento caiu 70%. Outros vizinhos fecharam seus estabelecimentos. Outros reabrem conforme podem. Com essa novidade de fechar as portas, enfim, a gente está sem chão. Está muito difícil", complementa, lembrando as novas restrições para a operação de restaurantes, que começa hoje.

2016 - 25.jan.2016 - Clayton de Souza/Estadão Conteúdo - 25.jan.2016 - Clayton de Souza/Estadão Conteúdo
Foto da edição de 2016 do Bolo do Bixiga mostra que evento seria impossível na pandemia
Imagem: 25.jan.2016 - Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

Vai ter no ano que vem?

A gravidade da situação gerada pela pandemia faz com que haja incerteza se o bolo, uma tradição iniciada em 1984, poderá voltar em 2022.

Para que o Bolo do Bixiga aconteça, são necessários dois meses de preparação. Então, a resposta para essa dúvida só deverá ser conhecida perto de novembro.

"Não vislumbro uma festa, neste montante [de pessoas], popular, no ano que vem, principalmente no início do ano que vem", diz Taverna. "Até o final deste ano, vai estar uma parte da população vacinada. Precisamos ter muita paciência neste momento, e respeitar todos os protocolos para que a gente possa se precaver, proteger os funcionários, nossos amigos, as pessoas que frequentam nossa casa."

Neste ano, o substituto do bolo foi o vídeo de cerca de 17 minutos. Ele conta com 467 depoimentos que duram de 3 a 15 segundos cada. "Tem gente do mundo inteiro", conta Taverna. "Não selecionamos, as pessoas foram mandando. Tem de Portugal, do Canadá, da Itália. Tem de Minas Gerais, do Amazonas, várias pessoas parabenizando São Paulo."

Coronavírus