PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Foragidos, donos de pousada de luxo são presos por crime de 20 anos atrás

Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo estavam foragidos desde 7 de agosto de 2018 - Reprodução/Facebook
Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo estavam foragidos desde 7 de agosto de 2018 Imagem: Reprodução/Facebook

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

25/02/2021 07h51

Um casal de empresários acusados por crimes cometidos há quase 20 anos foi preso na sexta-feira (19) em uma pousada de luxo na Praia dos Garcez, no município de Jaguaripe (BA). O local é um dos principais destinos turísticos do baixo-sul do estado.

Segundo a Polícia Civil, Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo estavam foragidos desde 7 de agosto de 2018, quando tiveram suas prisões decretadas pela Justiça. Ambos já haviam sido condenados a 14 e nove anos de reclusão, respectivamente, por roubo e extorsão mediante sequestro de uma mulher.

Na ocasião em que foram localizados pela polícia, o casal foi surpreendido por agentes da Delegacia Territorial (DT) Valença, responsáveis por cumprirem os mandados judiciais que estavam em aberto.

Em seguida, os dois passaram por exames de corpo de delito e foram transferidos para o Complexo Penitenciário da Mata Escura, na capital baiana, onde deverão cumprir suas penas.

O UOL procurou o advogado do casal, que ainda não se posicionou sobre o caso - a reportagem será atualizada assim que houver um retorno.

Vítima pagou R$ 35 mil de resgate, diz MP

Os delitos pelos quais os Leandro e Shirley acabaram sentenciados datam de 10 de maio de 2001 e teriam ocorrido em Salvador. Além do casal, outras três pessoas também foram denunciadas pelo Ministério Público por envolvimento na ação criminosa.

casal - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

No processo consta que, após ter sido sequestrada, a mulher alvo do grupo foi mantida em cárcere privado em um imóvel alugado com a participação do casal. A vítima só seria libertada após o pagamento de R$ 35 mil de resgate.

Ainda de acordo com a peça judicial, Leandro dirigiu o carro usado para executar o crime, além de ter sacado dinheiro da conta bancária dela. Shirley, por sua vez, incumbiu-se de buscar o valor do resgate.

À época, o casal e os demais envolvidos foram presos em flagrante. Anos depois, Leandro e Shirley passaram a responder ao processo em liberdade.

Os empresários são os donos da pousada em que foram localizados e também possuem outro empreendimento de alto padrão na mesma região.

Nas redes sociais dos dois empreendimentos — que somam mais de 80 mil seguidores —, eles compartilhavam selfies da rotina no litoral e fotos na companhia de hóspedes famosos.

Errata: o texto foi atualizado
A matéria citou incorretamente exames de corpo de delito como sendo exames de lesão corporal. O conteúdo foi corrigido

Cotidiano