PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Contra fase vermelha, manifestantes protestam em frente à casa de Doria

Do UOL, em São Paulo

07/03/2021 17h00Atualizada em 08/03/2021 09h44

Manifestantes protestam, neste domingo (8), em frente à casa do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Imagens compartilhadas no Twitter mostram pessoas aglomeradas, algumas sem máscara. Os manifestantes reclamam da fase vermelha do Plano São Paulo, iniciada na sexta-feira (5) contra a pandemia do novo coronavírus. As novas regras restringiram o funcionamento de estabelecimentos no estado (veja mais abaixo).

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou que a Polícia Militar acompanha a manifestação desde as 13h, e que não houve registro de incidentes. A pasta informou que o protesto durou até as 19h35, sem registro de incidentes, mas disse não ter uma estimativa do número de participantes do ato.

Em nota, Secretaria de Comunicação do governo de São Paulo afirmou que o protesto é um "ato político promovido pelo gabinete do ódio, ligado ao presidente Jair Bolsonaro". "O governador João Doria e sua família são vítimas da violência desta ideologia homicida promovida por maníacos, que faz o Brasil ser fonte de preocupação em todo mundo pela catástrofe humanitária que acontece neste momento no país", completa o texto (leia a íntegra abaixo).

O governador João Doria e o presidente Jair Bolsonaro são adversários políticos. Doria é visto como um possível candidato à Presidência nas eleições de 2022, em que Bolsonaro deve tentar a reeleição.

Vídeos nas redes sociais mostram protesto

Nas redes sociais, usuários compartilharam vídeos do protesto deste domingo (8). Veja:

Para conter Covid-19, restrições aumentaram na sexta-feira (5)

A fase vermelha do Plano São Paulo entrou em vigor na meia-noite de sexta-feira (5). Pelas regras, somente serviços essenciais, como mercados e farmácias, podem permanecer funcionando. Mesmo assim, os estabelecimentos devem abrir com capacidade reduzida.

O objetivo é conter o avanço do novo coronavírus no estado. As restrições valem até o dia 19, mas podem ser prorrogadas.

Doria entra com queixa-crime por vídeo

No sábado (6), o governador entrou com uma queixa-crime na polícia contra os responsáveis pela divulgação de um vídeo, que mostrava uma festa com aglomeração. Segundo as imagens, o evento estaria sendo promovido pelo filho de Doria, João Doria Neto, o Jhonny.

"Na filmagem, ela faz a falsa acusação de que o filho do governador estava fazendo festa em plena pandemia. A casa, onde havia o som em volume mais alto, fica na mesma rua onde reside o governador e seu filho. Mas nesta casa não havia festa, nem aglomeração. Foi solicitado à dona da casa que abaixasse o volume, e o pedido foi prontamente atendido por ela", diz nota encaminhada pelo governador à imprensa.

Leia a íntegra da nota encaminhada pela Secretaria de Comunicação do governo estadual

"No momento em que hospitais de SP têm 100% de ocupação e o Estado ultrapassa oito mil pessoas entre a vida e a morte em leitos de UTI, negacionistas fazem uma aglomeração na frente da casa do Governador João Doria.

É mais um ato político promovido pelo gabinete do ódio, ligado ao presidente Jair Bolsonaro, em que os seus seguidores demonstram ter desprezo pela vida e adoração pela morte. O Governador João Doria e sua família são vítimas da violência desta ideologia homicida promovida por maníacos, que faz o Brasil ser fonte de preocupação em todo mundo pela catástrofe humanitária que acontece neste momento no país. O governador João Doria não tem medo, não se intimida e vai continuar a proteger a população contra a ação de fanáticos adoradores da morte."

Cotidiano